GNR desmantelou casino ilegal em Varziela, Vila do Conde

Uma mulher de nacionalidade estrangeira foi constituída arguida

O Comando Territorial da GNR do Porto anunciou hoje ter desmantelado, na sexta-feira, um casino ilegal na zona industrial da Varziela, concelho de Vila do Conde, no âmbito de um inquérito por prática de jogo ilegal e lenocínio.

Em comunicado, a GNR refere que, no âmbito da operação, foram realizadas cinco buscas domiciliárias e não domiciliárias, tendo sido constituída arguida uma mulher de 52 anos, de nacionalidade estrangeira, por prática de jogo ilegal, lenocínio e auxílio à emigração ilegal.

A GNR dá também conta da apreensão de 6.320 euros, uma máquina de contar notas, 14 mesas de jogo e uma arma de ar comprimido.

"Foram ainda identificados 22 cidadãos, cinco dos quais em flagrante delito a jogar jogos de fortuna ou azar e três em situação ilegal no território nacional, sendo dois notificados para comparecerem nos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e o outro para extradição do território nacional", acrescenta.

Nesta ação, a GNR contou com o apoio do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, da Autoridade Tributária e da Inspeção Geral de Jogos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.