Fundação Gulbenkian oferece bolsas com formação desenvolvida na Google

A partir de hoje estão abertas as candidaturas, dirigidas a estudantes de todo o país. Há dois requisitos fundamentais: média de 18 valores e carência económica

O acesso a uma formação certificada em inteligência emocional e liderança, desenvolvida e testada na Google é a mais-valia do novo programa de bolsas - Gulbenkian Mais - dirigido a estudantes de todo o país, que estão a candidatar-se pela primeira vez à universidade. As candidaturas arrancam em dia de eleições.

"Mais do que uma bolsa, este é um programa de aceleração, que prepara os estudantes para carreiras de sucesso, onde terão também acesso a mentores e a sessões de networking com outros bolseiros Gulbenkian", disse ao DN Margarida Abecassis, diretora de Bolsas da Fundação, que sublinha o objetivo primordial deste e de outros programas: o desenvolvimento social, permitindo a jovens de zonas potencialmente mais desfavorecidas do país o acesso, em igualdade, ao estudo académico nos grandes centros. Daí que a aposta na divulgação "em jornais regionais e nas redes sociais" seja uma das chaves deste programa, cujas inscrições e respetivo regulamento estão disponíveis no site da Gulbenkian a partir deste domingo, e até dia 23 de outubro. Para se candidatarem à bolsa é necessário que os jovens apresentem uma média de entrada na universidade superior a 18 valores.

"Além das competências profissionais, hoje é fundamental ter instrumentos para o relacionamento interpessoal, para o trabalho em equipa, para a mudança", sublinha Margarida Abecasis, responsável pelas Bolsas Gulbenkian. "Sabemos que, há 50 anos, uma pessoa podia manter-se no mesmo posto de trabalho até ao momento em que se reformava. Hoje, em termos internacionais, os valores já vão em dez mudanças ao longo da vida ativa. Existe uma grande mobilidade e isso vai verificar-se cada vez mais. Há novas áreas de atividade, são necessárias novas formas de pensar e de agir, o que implica outro nível de competências", acrescenta.

As Bolsas Gulbenkian Mais vão acelerar o desenvolvimento pessoal e profissional dos bolseiros através de um programa certificado de inteligência emocional e liderança, desenvolvido e testado na Google.

Foi precisamente na gigante tecnológica que nasceu o programa Search inside Yourself [Procura dentro de Ti], quando, em 2007, um dos engenheiros e pioneiros da empresa juntou especialistas em mindfulness, neurociências e inteligência emocional para desenvolverem um programa de formação interna. Tornou-se rapidamente a formação mais popular da empresa. Em poucos anos, outras empresas quiseram explorar o mesmo caminho, seguindo o exemplo. Nascia assim o Search Inside Yourself Leadership Institute, que hoje dá formação certificada a organizações (com e sem fins lucrativos) em todo o mundo.

De acordo com inquéritos realizados a estudantes universitários que já fizeram esta formação, no final deste programa estima-se que 89% dos inquiridos conseguiram reduzir o stress, 91% aumentaram a sua "clareza mental", 79% os níveis de energia, 91% aumentou a sua capacidade de manter a calma perante situações de adversidade e 85% ficou com maior a capacidade de se relacionar com outras pessoas na universidade.

Mentores na rede de bolseiros

"Pretende-se que, durante o período da bolsa e ao longo da sua carreira, os bolseiros construam ligações de entreajuda e um sentimento de pertença a uma vasta rede, através de sessões de networking com novos e antigos bolseiros Gulbenkian, que são já cerca de 45 mil, desde que a Fundação começou a atribuir bolsas a estudantes portugueses, em 1956", conta Margarida Abecassis.

No desenho deste novo programa, os bolseiros mais antigos podem tornar-se mentores dos mais jovens, "reforçando valores como a camaradagem, a não-competição, a entreajuda e a partilha". A responsável pelas Bolsas da Fundação insiste no objetivo maior, que é promover "a igualdade de oportunidades". A Bolsa poderá ser renovada anualmente, até ser atingido o grau de mestrado, desde que o bolseiro obtenha um bom desempenho académico durante o período de estudos na universidade. A Gulbenkian não revela os valores envolvidos, falando apenas em "centenas de milhares de euros".

Regulamento disponível em gulbenkian.pt/noticias/bolsas-mais/

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).