Porto. Jovem universitário morre depois de agressões de colegas

Joel Rafael foi agredido de madrugada à saída de uma festa que decorria na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Um estudante universitário de 20 anos morreu na madrugada desta sexta-feira junto à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), na zona do polo universitário da Asprela. O jovem morreu depois de ter sido agredido por outros jovens, também estudantes universitários, mas a PJ afasta a hipótese de homicídio e considera a morte acidental.

A vítima é Joel Rafael, natural de Baião e estudante no Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto, instituição do Politécnico do Porto, confirmou ao DN Daniel Freitas, o presidente da Federação Académica do Porto (FAP).

Fonte da PSP do Porto revelou que o jovem foi agredido por quatro jovens pelas 4.30 da manhã. Segundo apurou o DN com fonte da PJ, a agressão foi fortuita originada por um "bate boca" entre estudantes exaltados à saída de uma festa que decorria na FEUP. Aparentemente, o estudante não terá morrido da agressão mas de um traumatismo craniano severo causado por ter batido com a cabeça.

O estudante Joel Rafael numa fotografia retirada do Facebook

"Ao afastar-se desse grupo, o estudante caiu para trás e bateu com a cabeça no chão de cimento". Foi essa queda com impacto a causa da morte e a mesma não foi provocada pelas agressões, precisou a fonte da PJ.

A causa da morte será confirmada pela autópsia mas fonte da Judiciária do Porto garantiu que as agressões não terão sido com a intenção de provocar a morte nem causadoras da morte do jovem.

Os agressores não pertenciam ao círculo de amigos de Joel, apesar de também serem estudantes. Os amigos do jovem estão a ser ouvidos pela Judiciária, para se esclarecer melhor o que se passou.

Joel ainda foi transportado para o Hospital de São João, mas não resistiu aos ferimentos, tendo morrido cerca de uma hora após as agressões. Estaria com um grupo de amigos, de quem se terá separado ao chegar à rua Rua Frei Vicente de Soledade Castro, onde foi vítima do espancamento. Não terá havido recurso a armas. É uma situação lamentável", sublinhou Daniel Freitas, da FAP, que revelou que na noite de quinta-feira decorreu na FEUP uma festa universitária, motivo pelo qual o jovem deveria estar naquela zona, àquela hora.

O diretor de comunicação da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Carlos Oliveira, lamentou o sucedido. "O que sabemos é que a agressão ocorreu fora do edifício da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, junto ao parque de estacionamento que, durante a noite, está aberto ao público. O acesso não é controlado. Os edifícios da Faculdade são frequentados durante toda a noite. Temos muitos alunos ali a estudar", sublinhou. Carlos Oliveira diz ter recebido da polícia informações de que todos os envolvidos na morte do aluno de 20 anos eram estudantes do ensino superior.

"Segundo informações recolhidas junto da polícia, nenhum dos estudantes, nem o agredido nem os agressores, eram da FEUP. Mas seriam todos estudantes", afirmou.

A investigação foi entregue à Polícia Judiciária.

Notícia atualizada às 17.45. Incluída informação da PJ, que considera morte acidental

Ler mais

Exclusivos