Dois imigrantes esfaqueados em Lisboa. Um morreu

Ao que tudo indica, o autor do crime está em fuga. Vítimas são irmãos

Um homem de 44 anos morreu e outro, de 38, ficou ferido na sequência de um crime que ocorreu na madrugada desta quarta-feira, em Lisboa. Os indivíduos, ao que o DN apurou junto da Polícia Judiciária, são naturais do Nepal. Os dois homens esfaqueados são irmãos.

Quanto ao autor do crime, de acordo com as informações fornecidas, "ainda é desconhecido" das autoridades, pelo que estará "provavelmente em fuga".

Já a PSP, confirmou um crime com uma "arma branca, na via pública, com uma das vítimas a acabar por morrer e a outra a ir para o hospital", neste caso o Hospital de Santa Maria.

A Polícia de Segurança Pública confirmou ainda que "quando chegou ao local" o autor do crime "estava em fuga" e que a ocorrência foi por volta das 00:20.

Neste momento é a PJ que está encarregado do caso.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Globalização e ética global

1. Muitas das graves convulsões sociais em curso têm na sua base a globalização, que arrasta consigo inevitavelmente questões gigantescas e desperta paixões que nem sempre permitem um debate sereno e racional. Hans Küng, o famoso teólogo dito heterodoxo, mas que Francisco recuperou, deu um contributo para esse debate, que assenta em quatro teses. Segundo ele, a globalização é inevitável, ambivalente (com ganhadores e perdedores), e não calculável (pode levar ao milagre económico ou ao descalabro), mas também - e isto é o mais importante - dirigível. Isto significa que a globalização económica exige uma globalização no domínio ético. Impõe-se um consenso ético mínimo quanto a valores, atitudes e critérios, um ethos mundial para uma sociedade e uma economia mundiais. É o próprio mercado global que exige um ethos global, também para salvaguardar as diferentes tradições culturais da lógica global e avassaladora de uma espécie de "metafísica do mercado" e de uma sociedade de mercado total.