Android é o sistema operativo com mais vulnerabilidades de 2016

Empresa de segurança informática contabiliza o número de "buracos" no software que podem ser explorados

O Android foi o software em que foram detetadas vulnerabilidades em 2016 no ranking da empresa de segurança informática CVE, que contabiliza o número de falhas de segurança detetadas em sistemas operativos e outros programas.

Com 523 vulnerabilidades "distintas" encontradas durante o ano passado, o Andoid encabeça este ranking, muito à frente do Debian Linux (327 vulnerabilidades) ou do Ubuntu Linux (278). que ocupam o segundo e terceiro lugares, respetivamente.

O sistema operativo móvel mais utilizado no mundo - de acordo com dados da consultora Gartner, 8 em cada 10 smartphones utilizam Android - destacou-se assim pela insegurança, especialmente em comparação com a concorrência: o iOS, da Apple (que equipa os iPhones), surge em 15.º lugar (161 vulnerabilidades) e o Windows 10 (aqui contabiliza-se desktop e mobile) em 14.º (172 falhas).

Este resultado é ainda mais negativo para o sistema operativo da Google se compararmos com os resultados do ano anterior. Em 2015, o Android ocupou o 26.º lugar deste ranking, com apenas 125 vulnerabilidades detetadas.

Caminho inverso fizeram, curiosamente, os sistemas operativos da Apple. Apesar da fama que têm de serem softwares "muito seguros", o Mac OS X (que equipa os computadores Macintosh) e o iOS ocuparam os dois primeiros lugares do ranking em 2015.

Consulte aqui os rankings completos

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.