A dura realidade das alterações climáticas: urso polar filmado a morrer à fome no Ártico

Fotógrafo Paul Nicklen e equipa do grupo Sea Legacy gravaram vídeo nas ilhas de Baffin, no Ártico do Canadá. É uma cena que ainda o atormenta.

Paul Nicklen está a habituado a ver ursos devido à sua infância passada no norte do Canadá, fala em mais de três mil espécimes que terá já visto no seu habitat natural. Mas o urso polar que surge no vídeo que divulgou esta semana não lhe sai da cabeça, é uma cena que ainda o atormenta. Estava quase a morrer à fome.

"Nós ficámos ali a chorar, a filmar com as lágrimas a rolarem pelas nossas faces", disse uma entrevista ao site da National Geographic.

Questionado porque razão não tentou salvar o urso, Nicklen respondeu: "Claro que isso me passou pela cabeça. Mas não ando propriamente no bolso com uma arma tranquilizante ou 200 quilos de carne de foca".

E explica porque razão fez este vídeo. "Quando os cientistas dizem que os ursos vão ficar extintos, eu quero que as pessoas percebam que é assim que tal vai acontecer. Os ursos vão morrer à fome", afirmou à National Geographic. "É uma cena que aperta o coração que ainda me atormenta, mas eu sei que precisamos de partilhar tanto o bonito como o angustiante se queremos derrubar os muros de apatia" escreveu no Instagram.

De acordo com esta publicação, em 2002, um relatório do World Wild Life Fund já previa que as alterações climáticas poderiam eventualmente levar à extinção dos ursos polares, ou deixar esta espécie em risco.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.