1 julho de 1867 Portugal pioneiro na abolição da pena de morte

"Morte à morte", gritou Victor Hugo. O grande escritor francês, alertado sobre a abolição da pena de morte em Portugal, escreveu em julho de 1867 uma carta ao Diário de Notícias em que elogiava o país.

O jornal tinha então menos de três anos (vai a caminho dos 153), mas afirmava-se já como uma referência da imprensa portuguesa, até além-fronteiras. Que o autor de Os Miseráveis tenha escolhido o jornal para falar aos portugueses é um dos marcos da história do DN, a par da reportagem de Eça na inauguração do canal de Suez, da entrevista de António Ferro a Hitler ou do Nobel para Saramago, antigo diretor adjunto. Hoje no CCB assinalam-se os 150 anos de uma data que muito honra Portugal. O nosso jornal não podia deixar de estar associado à celebração e por isso o fac-símile da lei pioneira, oferta do Parlamento, é distribuído nesta edição do DN.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Operação Marquês

Granadeiro chama 5.º mais rico do mundo para o defender

O quinto homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim Helú, é uma das 15 testemunhas que Henrique Granadeiro nomeou para serem ouvidas na fase de instrução do processo Marquês. Começa hoje a defesa do antigo líder da Portugal Telecom, que é acusado de ter recebido 24 milhões de euros do GES para beneficiar o grupo em vários negócios.