Há 168 milhões de crianças obrigadas a trabalhar no mundo

O trabalho infantil ocorre sobretudo nas economias pequenas e rurais, onde não existem inspeções de trabalho

O diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT) considerou hoje que "é inaceitável" que o trabalho infantil ainda seja uma realidade para 168 milhões de crianças em todo o mundo, 85 milhões das quais realizam tarefas perigosas.

"É claro que o trabalho infantil não tem lugar nos mercados regulamentados, mas a realidade é que a prática é generalizada nas cadeias de produção", declarou Guy Ryder, a propósito do Dia contra o Trabalho Infantil, que se assinala no domingo.

Numa intervenção na conferência anual da OIT, que decorre em Genebra, Ryder explicou que o trabalho infantil ocorre sobretudo nas economias pequenas e rurais, onde não existem inspeções de trabalho nem organizações que protejam os direitos dos trabalhadores.

Precisou que dos 168 milhões de menores que trabalham, 99 milhões estão no setor agrícola e os restantes em atividades como a mineração, a manufatura e o turismo.

Fator de risco para o trabalho infantil é a situação económica das famílias, muitas das quais se veem obrigadas a contar com o trabalho dos filhos para poderem sobreviver, adiantou.

O responsável da OIT considerou, no entanto, que "existem sinais encorajadores de uma vontade de agir e prevenir o trabalho infantil, aumentar a transparência na cadeia de produção e aplicar melhor as leis".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG