Gabinete de Costa vai ficar vazio. Junta de Arroios vai mudar-se

O destino do edifício é desconhecido. A autarquia ocupa ainda o antigo gabinete de António Costa mas vai mudar-se para outro prédio, a reabilitar por 1,3 milhões de euros

Quem hoje olha do portão da sede da Junta de Freguesia de Arroios para o Largo do Intendente, em Lisboa, vê em frente um prédio bastante degradado. O cenário começará a mudar em breve e com benefícios para a autarquia, que ocupa desde 2014 o antigo gabinete de António Costa (PS), anterior presidente da Câmara Municipal de Lisboa agora liderada por Fernando Medina (PS). Ontem, CML aprovou o lançamento do concurso público para a reabilitação, por cerca de 1,386 milhões de euros, do edifício que passará a ser a casa da junta de freguesia liderada por Margarida Martins (PS). Não se sabe quando isso acontecerá nem que projeto está reservado para o prédio com a renda paga até 2021.

"A Junta de Freguesia de Arroios não teve instalações municipais cedidas para a sua sede, contrariamente ao que aconteceu com outras juntas de freguesia. Ficou provisoriamente instalada no prédio antes ocupado pela presidência da câmara, no Largo do Intendente, que é arrendado. A opção para a instalação definitiva recaiu na cedência em comodato [gratuitamente, com obrigação de restituição do imóvel findo o contrato] do prédio sito no Largo do Intendente, 40-42 torneja para a Travessa da Cruz dos Anjos, 19-21, depois de realizadas as obras de reabilitação necessárias", justifica a CML em resposta enviada por e-mail ao DN, sem no entanto responder que uso está previsto para o antigo gabinete de António Costa.

O prédio, com três pisos e 700 metros quadrados, foi reabilitado propositadamente para receber o então presidente da autarquia. A mudança, que marcou o início da requalificação do Intendente (ver caixa), ocorreu em abril de 2011, com António Costa a esclarecer, na altura, os jornalistas que a renda de 5600 euros/mensais fora paga antecipadamente por dez anos e contemplara os gastos com as obras de recuperação do imóvel, que integrara a antiga Fábrica de Cerâmica da Viúva Lamego. Feitas as contas, o proprietário do prédio recebeu um total de 672 mil euros e a CML conquistou o direito de ocupar o edifício até 2021.

A junta está a par do processo

A intenção foi sempre de que o gabinete da presidência do município regressasse aos Paços do Concelho, na Praça de Município, o que acabaria por acontecer em março de 2014, já no atual mandato e ainda antes de António Costa renunciar ao cargo para se dedicar à liderança do PS. Foi nessa altura que foi ocupado pela Junta de Freguesia de Arroios, que gere o território que, até à reforma administrativa de 2012, correspondia às freguesias de São Jorge de Arroios, Pena e Anjos e no qual vivem mais de 30 mil pessoas.

"Mais tarde ou mais cedo, teríamos de sair", adianta ao DN Margarida Martins, frisando que todo o processo tem decorrido com o seu conhecimento, de modo a assegurar que a nova sede terá todas as valências necessárias. A autarca, porém, não avança com uma data para a mudança de instalações, dizendo que "será logo que estiver pronto".

De acordo com a proposta ontem aprovada, por maioria, pelo executivo, à qual o DN teve acesso, a expectativa é de que uma vez adjudicada a obra esta não se prolongue além de um ano e que o investimento municipal não ultrapasse os 1,386 milhões de euros. O edifício, com três pisos e quase 440 metros quadrados, é revestido a azulejos e foi adquirido pelo município em 2011 por 257 500 euros - menos do que o seu valor: 410 045 euros. A diferença deveu-se à obrigatoriedade de reabilitar o prédio e de realojar a inquilina que lá residia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG