Notas de 500 euros em festa de presos eram fotocópias

Serviços Prisionais abriram processos disciplinares a reclusos envolvidos em festa ilegal na cadeia de Sintra. Notas de 500 euros que presos exibiram em fotos eram fotocópias

Um encontro festivo com várias dezenas de reclusos aconteceu no Estabelecimento Prisional de Sintra e foi filmado pelos reclusos com recurso a telemóveis (cujo uso é proibido pelos presos). A notícia, avançada pelo Correio da Manhã de hoje, revela ainda que nenhum guarda prisional surge a vigiar os presos, alguns deles visíveis nas imagens a enrolarem cigarros de haxixe.

Numa outra foto divulgada pelo CM e que terá sido publicada na rede social Facebook, dois presos exibem maços de notas de 500 euros, recebendo ínumeros comentários e "likes" dos amigos. Também se vê dois homens a trocarem um saco de erva nas imagens, segundo a mesma notícia.

Em esclarecimento ao Diário de Notícias sobre o caso, a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais informou que "as alegadas notas de 500 euros correspondem a fotocópias que se encontram apreendidas, estando os reclusos envolvidos a ser objeto de processo disciplinar. Do conjunto de situações referidas na notícia, caso venham a ser apurados ilícitos criminais serão feitas as participações devidas ao Ministério Público, sendo que os principais protagonistas serão colocados em regime de segurança".

A Direção Geral esclarece ainda que "a situação verificada no bar de reclusos do Estabelecimento Prisional de Sintra, em que são consumidos produtos alimentares aí vendidos, foi identificada no momento em que ocorreu. Está a decorrer processo de inquérito a esta situação, bem como à da utilização de telemóveis por reclusos, o que não é permitido".

No Estabelecimento Prisional de Sintra, informa ainda a DGRSP, foram apreendidos este ano 127 telemóveis e feitas 17 apreensões de substâncias presumivelmente estupefacientes, tendo igualmente sido mandados instaurar 222 processos disciplinares abreviados, 23 inquéritos e 7 processos disciplinares comuns a reclusos.

"As ações de prevenção à entrada de estupefacientes e outros bens ilícitos levadas a efeito no sistema prisional estendem-se igualmente a visitantes funcionários, sendo que em consequência destas ações já foram feitas diversas detenções de visitantes e também de guardas prisionais", concluiu o esclarecimento da DGRSP.

Exclusivos