Família de Rúben Cavaco: "De que nos serve que sejam presos?"

Informação foi revelada pelo advogado que não vai desistir da queixa-crime. Governo pede resposta urgente ao Iraque

A família do jovem agredido em Ponte de Sor, Rúben Cavaco, de 15 anos, vai pedir uma indemnização ao embaixador iraquiano, revela o advogado Santana-Maia Leonardo. A família já tinha dado indicações que estaria disponível para chegar a um acordo com os agressores, os dois filhos do embaixador do Iraque em Portugal, segundo o jornal i. "De que nos serve que sejam presos'", indicou fonte da família ao jornal.

Agora, o advogado Santana-Maia Leonardo confirma que a família vai pedir uma indemnização, em declarações ao jornal Público, sublinhado que isso não implica desistir da queixa-crime.

O crime de tentativa de homicídio, de que os dois jovens estão acusados e que levou ao pedido de levantamento da imunidade diplomática, é um crime público e portanto a acusação não desaparece com um acordo com a família do adolescente. No entanto, a compreensão família do agressor será sempre benéfica.

Ruben Cavaco, que chegou a estar em coma induzido após sofrer agressões na cabeça, saiu dos cuidados intensivos na terça-feira, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, para onde foi transportado de helicóptero, após os incidentes. Deverá sair do hospital na próxima semana, segundo o advogado Santana-Maia Leonardo.

Os filhos do embaixador iraquiano, Haider e Ridha, admitiram as agressões, afirmando que nunca tiveram a "intenção de ferir tão gravemente uma pessoa" e pediram "sinceras e sentidas desculpas" à vítima e à sua família.

Na semana passada, o embaixador Saad Mohammed Ali mandou entregar no Hospital de Santa Maria um ramo de flores, juntamente com um cartão pessoal em que se solidarizava com a dor dos pais, disponibilizando toda a sua ajuda e desejando a recuperação do jovem de 15 anos.

Com Lusa

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG