Detido por atear 26 fogos em Oliveira de Azeméis ficou em preventiva

O suspeito, de 45 anos, detido pela PJ do Porto, já tinha sido condenado no passado a pena de prisão pelo crime de incêndio florestal. Polícia diz que ele pertenceu à corporação de bombeiros local

No conjunto o suspeito terá ateado 26 incêndios florestais no concelho de Oliveira de Azeméis, dois dos quais de grandes proporções, entre os meses de junho e julho. Inspetores da PJ do Porto detiveram quarta-feira o homem fora de flagrante delito. O detido pertenceu à corporação de bombeiros local e já tinha sido condenado no passado pela prática do mesmo crime, informou a Judiciária, em comunicado.

O homem cumpriu pena de prisão entre 1995 a 1998. Segundo fonte da PJ, foi bombeiro voluntário na corporação de Fajões antes disso, nos inícios da década de 1990. A corporação veio, no entanto, desmentir, em comunicado, que o suspeito tenha alguma vez pertencido aos quadros.

A investigação a inúmeras ignições florestais surgidas com especial incidência a partir do mês de junho, em diversos lugares de Oliveira de Azeméis, levou à detenção do suspeito. Os incêndios no concelho causaram grande alarme social, proximidade de habitações, tendo ardido uma vasta área de árvores e vegetação mista, referiu a PJ.

"Em dois dos incêndios florestais de grandes proporções, com início em ignições ocorridas nos dias 14 e 25 de julho, tiveram de ser mobilizadas as corporações de Fajões, Oliveira de Azeméis, São João da Madeira, Lourosa, Vale de Cambra, Arouca, Santa Maria da Feira, Albergaria, Ovar, Murtosa, Mealhada, Castelo de Paiva, Esmoriz e Espinho".

Os fogos foram ateados com recurso a um isqueiro (chama direta no mato). O detido foi presente a primeiro interrogatório judicial e ficou submetido a prisão preventiva.

(Notícia atualizada às 18.54 de dia 18 de agosto)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG