Entusiasmo com chegada do maior avião do mundo à Austrália faz passageiros perder voos

Milhares de pessoas reuniram-se à volta do aeroporto para ver a chegada do avião, bloqueando as estradas de Perth

O avião Antonov An-225 Mriya é o maior avião do mundo e atrai as atenções onde quer que passe. Este domingo, o avião aterrou em Perth, na Austrália, e trouxe tantos entusiastas da aviação para o ver que as estradas ficaram bloqueadas e vários passageiros acabaram por perder os seus voos por não conseguirem chegar ao aeroporto.

O enorme avião, que transportava um gerador de 117 toneladas vindo da Áustria, tinha feito duas paragens antes de chegar à Austrália, conta a BBC. Sem qualquer carga ou combustível, este Antonov pesa 175 toneladas.

De acordo com a publicação regional australiana WAToday, cerca de 16 mil pessoas dirigiram-se ao aeroporto apenas para presenciar a chegada do Antonov An-225, obrigando passageiros a caminhar vários quilómetros para chegar ao aeroporto e fazendo mesmo com que alguns perdessem os seus voos.

O WAToday conta que muitos passageiros desabaram nas redes sociais, incluindo dois músicos que confessaram no Facebook terem sido obrigados a "correr um quilómetro até ao aeroporto com uma carrada de material de música".

Outro passageiro afirmou que o aeroporto de Perth não se tinha preparado para a torrente de mirones que viriam ver o Antonov, nem tinha feito preparativos para avisar os passageiros que voariam nesse dia de que deviam chegar mais cedo.

Várias companhias aéreas confirmaram ao WAToday que tinham tido passageiros a perder voos devido à enorme afluência de trânsito, que gerou filas de mais de quatro quilómetros à volta do aeroporto.

O Antonov An-225 parte de Perth esta terça-feira de manhã, e o aeroporto já alertou quem vai voar para chegar bastante mais cedo.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.