Energia limpa criada através de painéis solares com bactérias

Pela primeira vez na história cientistas juntaram de forma eficaz as formas de geração de energia solar e biológica

Um grupo de cientistas da Universidade de Binghamton juntou as formas de geração de energia solar e biológica, no que pode ser o próximo passo na evolução para baterias ou geradores cuja eletricidade 100% natural e totalmente limpa, criada por bactérias, noticia o Science Daily.

Os investigadores conectaram nove células solares com bactérias, criando um painel bio-solar que foi capaz de produzir eletricidade: 5,59 microwatts. Apesar de parecer pouca potência, foi o maior valor produzida através de células bio-solares de pequeno porte.

O processo aproveita a fotossíntese e as atividades respiratórias das bactérias em ciclos de dia e noite de 12 horas.

"Assim que um painel bio-solar funcional ficar disponível, pode tornar-se numa fonte de energia permanente para o fornecimento de energia a longo prazo para sistemas de telemetria pequenas, sem fios, bem como sensores sem fios utilizados em locais remotos onde a substituição frequente da bateria é impraticável", disse Seokheun "Sean" Choi, coautor do projeto e professor assistente de engenharia elétrica e informática da Universidade de Binghamton.

Denominado de "Geração Biopower num painel bio-solar microfluídico" o projeto constitui uma evolução no uso de cianobactérias (que podem ser encontradas em quase todos os habitats terrestres e aquáticos do planeta) como uma fonte de energia limpa e sustentável.

Apesar do avanço, as células deste estudo estão ainda longe de produzir a mesma quantidade de potência elétrica que um painel solar tradicional, conseguindo gerar apenas 0.00003726 watts, contra os 200 watts de potência de um tradicional composto por 60 células.

Os resultados podem ainda não ser suficientes, mas abrem portas para investigações futuras em relação a estes métodos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG