Emigrante portuguesa encontrada desmembrada na Alemanha

Autoridades de Leipzig depararam-se com o corpo no rio. Caso está a ser investigado

Um corpo que foi encontrado desmembrado no rio Elster, perto da cidade alemã de Leipzig, foi esta terça-feira identificado como o de uma emigrante portuguesa de 43 anos. Maria D., assim identificada pelas autoridades alemãs, foi sujeita a extrema violência, pois os membros foram-lhe separados do corpo.

O tronco da mulher, segundo os media alemães, foi encontrado sob a ponte Landauer por um transeunte, já na passada quinta-feira. As autoridades iniciaram então buscas no rio, tendo só localizado os membros da mulher nos dias seguintes.

A identificação só foi possível após a autópsia pois o cadáver não tinha quaisquer documentos identificativos.

Segundo o jornal alemão Bild, o caso está oficialmente a ser investigado pela procuradoria alemã como homicídio, não tendo no entanto sido divulgada a causa da morte - nem se o desmembramento foi feito antes ou depois do óbito.

Nesta fase, escreve a publicação alemã, os investigadores pedem a quem possa dar quaisquer pistas sobre o caso que contactem a polícia.

Maria D., segundo os media alemães, vivia na Alemanha há cerca de cinco anos mas não tinha residência fixa. Emigrou com um companheiro, identificado como Toni M., de 43 anos, nas ter-se-á separado dele há pouco tempo.

Contactado pela imprensa, o homem afirma que a última vez que viu Maria D. foi a 9 de abril, três semanas antes de o corpo ter sido encontrado. Garante no entanto que não estranhou a sua ausência, uma vez que já não era a primeira vez que a mulher desaparecia durante alguns dias.

A imagem da mulher está já a circular nas redes sociais dos órgãos de comunicação social alemães.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG