Em 2080 só haverá 7,5 milhões de pessoas em Portugal

Projeção feita pelo INE indica que o número de jovens diminuirá de 1,5 para 0,9 milhões e os idosos passarão de 2,1 para 2,8 milhões.

Portugal mantém o agravamento do envelhecimento demográfico dos últimos anos, prevendo-se que fique abaixo do limiar dos 10 milhões em 2031, segundo projeções do Instituto Nacional de Estatística, hoje divulgadas.

O INE definiu quatro cenários de projeção da população: cenário baixo, cenário central, cenário alto e cenário sem migrações, com base em diferentes conjugações das hipóteses alternativas de evolução das componentes de evolução demográfica.

De acordo com o cenário central da projeção, entre 2015 e 2080, Portugal passará dos atuais 10,3 para 7,5 milhões de pessoas.

O número de jovens diminuirá de 1,5 para 0,9 milhões e os idosos de 2,1 para 2,8 milhões.

Face ao decréscimo da população jovem, a par do aumento da população idosa, o índice de envelhecimento mais do que duplica, passando de 147 para 317 idosos, por cada 100 jovens, em 2080.

Segundo a projeção do INE, o índice de envelhecimento só tenderá a estabilizar na proximidade de 2060, quando as gerações nascidas num contexto de níveis de fecundidade abaixo do limiar de substituição de gerações já se encontrarem no grupo etário dos 65 ou mais anos.

Estas tendências, acrescenta o INE, são em geral transversais a todas a regiões (Norte, Centro, Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo, Algarve e regiões autónomas da Madeira e dos Açores).

Esta análise como população de base a estimativa provisória de população residente a 31 de dezembro de 2015.

Segundo o INE, os resultados obtidos não devem ser entendidos como previsões, mas sim com um caráter condicional, uma vez que são determinados pelo volume e pela estrutura da população no momento da partida (2015) e pelos diferentes padrões de comportamento da fecundidade, da mortalidade e das migrações, estabelecidos em cada um dos cenários, ao longo do período de projeção.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG