É o fim das teorias da conspiração: Hitler morreu mesmo em 1945

Estudo aos dentes de Hitler permite confirmar que o ditador nazi se suicidou e que não fugiu para a Argentina como algumas teorias defendiam

Hitler morreu mesmo em 1945. Parece uma notícia com décadas de atraso, mas a verdade é que agora há uma equipa de investigadores franceses que reclama estar em condições de dar essa garantia.

O grupo teve acesso à dentadura do Führer e garante que este cometeu suicídio e depois o seu corpo foi queimado por agentes das SS. Deitando por terra, 70 anos depois, todas as teorias da conspiração que então surgiram e que retratavam Adolf Hitler em fuga para a Argentina num submarino e uma morte que chegou apenas nos anos 1980, quando já era nonagenário e tinha ao seu lado uma namorada brasileira.

Os cientistas garantem que os fragmentos de dentes a que tiveram acesso são mesmo de Hitler. Os dentes e o crânio do ditador nazi estão à guarda do antigo KGB, atual FSB (os serviços secretos russos) e a equipa francesa pôde estudá-los entre março e julho de 2017.

Além da confirmação da sua morte, também é possível afirmar que Hitler tomou cianeto, antes de dar um tiro na cabeça. As conclusões foram publicadas no Jornal Europeu de Medicina Interna.

Vegetariano e com cinco dentes

Para lá da parte mais séria da investigação, também fica confirmada a má qualidade da higiene oral de Adolf Hitler. Aos 56 anos, Hitler morreu com apenas cinco dentes próprios. Uma análise de microscópio permitiu ainda confirmar que era vegetariano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG