Crimes contra animais de companhia aumentam 22%

Foram registadas mais de 1600 queixas de crimes contra animais de companhia em 2016

As autoridades policiais registaram, no ano passado, 1.623 participações de crimes contra os animais de companhia, mais 293 do que em 2015, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2016.

Os maus-tratos a animais de companhia, considerados crime desde outubro de 2014, sofreram um aumento de 22%, indicam os dados do relatório.

No ano passado, a GNR realizou 563 fiscalizações a proprietários de cães de raças potencialmente perigosas, tendo sido depois elaborados 1.112 autos, por parte da GNR e da PSP.

Segundo o RASI, "com a criminalização dos maus tratos e abandono dos animais, assistiu-se a um aumento significativo da preocupação da sociedade", tenso sido participados às autoridades de 1.046 crimes por mais tratos a animais de companhia e 577 crimes por abandono, representando um aumento de 22% comparativamente a 2015.

Em relação aos animais de companhia, a lei determina que, "quem, tendo o dever de guardar, vigiar ou assistir animal de companhia, o abandonar, pondo desse modo em perigo a sua alimentação e a prestação de cuidados que lhe são devidos, é punido com pena de prisão até seis meses ou com pena de multa até 60 dias".

Exclusivos