"As famílias são as primeiras responsáveis"

CONFAP alerta pais para condições de viagens quando assinam termo de responsabilidade

A Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) alertou hoje as famílias para a importância de conhecerem as condições contratuais das viagens de finalistas quando assinam um termo de responsabilidade pelos filhos.

"As famílias devem conhecer os contratos quando assinam um termo de responsabilidade. Temos de saber o que estamos a assinar", disse à agência Lusa o presidente da CONFAP, Jorge Ascensão.

O dirigente da CONFAP alertou também para os riscos de fazer uma generalização do comportamento dos cerca de mil estudantes portugueses que regressaram a Portugal este fim-de-semana após alegados desacatos num hotel em que se encontravam em Espanha.

Tanto quanto sabemos, terá sido uma dezena de jovens a ter comportamentos reprováveis

Na sua opinião, o modelo de educação está demasiado centrado "nas classificações e no acesso ao ensino superior", pelo que se impõe uma discussão sobre valores e limites que os alunos devem ter quando não estão nas aulas.

A Lusa recebeu um e-mail de aluno que se identificou como um dos participantes na viagem. Entre outras queixas, referiu que foi assinado um contrato que previa bar aberto e que este foi encerrado às 22:00.

Questionado sobre este tipo de contratos, Jorge Ascensão alertou os pais para a necessidade de saberem em que condições autorizam a viagem dos filhos.

"Acreditamos que as famílias dão os melhores conselhos aos seus filhos, mas estamos a falar de fenómenos de massas, as famílias são as primeiras responsáveis. Temos de garantir a segurança deles", defendeu.

Para Jorge Ascensão, os problemas noticiados quase todos os anos com viagens de finalistas são "sinais de alerta" que devem levar a uma reflexão, nomeadamente se faz sentido este tipo de organização no ensino secundário.

O hotel onde estava alojado um grupo de 800 estudantes portugueses do ensino secundário confirmou no sábado que expulsou os jovens por danos e vandalismo nos últimos dias e prometeu mais detalhes para uma conferência de imprensa na segunda-feira.

Fonte da Direção Nacional da PSP havia dito à Lusa, anteriormente, que cerca de mil estudantes portugueses do ensino secundário haviam sido expulsos de uma unidade hoteleira em Benalmádena, sul de Espanha, por desacatos e mau comportamento.

A polícia portuguesa está a acompanhar o caso em colaboração com as autoridades espanholas.

O Governo português está também a acompanhar a situação, revelou no sábado à Lusa o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro.

"Os nossos serviços consulares já dialogaram com as autoridades [espanholas] e encontram-se a acompanhar a situação", disse José Luís Carneiro.

Milhares de estudantes do ensino secundário portugueses estão em várias localidades do sul de Espanha em viagens de finalistas.

Benalmádena, Marina D'Or e Punta da Umbria são alguns dos destinos escolhidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG