Condutor com deficiência apanhado a conduzir a 297km/h

O homem de 36 anos conduzia um Porsche

Um condutor espanhol ficou sem carta por um ano depois de ter sido apanhado a conduzir a 297 quilómetros por hora numa autoestrada em Madrid, na segunda-feira, noticia o jornal El Pais.

O homem de 36 anos, que conduzia um Porsche 911, tinha uma incapacidade e a sua carta só lhe permitia conduzir veículos adaptados, o que não era o caso - o carro era automático. Aliás, os guardas tiveram de disponibilizar uma cadeira de rodas quando o condutor saiu do carro.

As infrações acumulam-se uma vez que o homem já não tinha pontos na carta - Espanha tem carta por pontos - e o carro, que não lhe pertencia, não tinha o seguro necessário. Segundo o El Mundo, esta foi a velocidade mais alta a que alguém já foi apanhado em Espanha.

O homem foi ainda condenado a pagar uma multa de 3600 euros. Segundo a imprensa espanhola, tem cadastro por crimes contra o património e tráfico de drogas.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.