Cinco médicos recebem bolsas de doutoramento no valor de 20 mil euros cada

Grupo atribui 100 mil euros a este programa. Distinguidos são de ortopedia, cardiologia, psiquiatria, ginecologia e medicina interna

Cinco médicos da José Mello Saúde recebem hoje uma bolsa de doutoramento no valor de 20 mil euros cada. As teses financiadas pelo grupo privado de saúde vão estudar as fases iniciais de doenças psicóticas, a morbilidade dos doentes internados no SNS, o treino em laparoscopia ginecológica, os preditores de complicações em casos de estenose aórtica severa e a avaliação biomecânica de um sistema de suspensão para a fixação do ligamento cruzado anterior.

As bolsas de doutoramento são atribuídas desde 2014, abrangendo cinco clínicos em cada ano. Na cerimónia de entrega deste ano, que acontece hoje no Museu do Oriente, em Lisboa, vão estar presentes os ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e o da Saúde.

As teses premiadas são das áreas da cardiologia, ortopedia, psiquiatria, medicina interna e ginecologia-obstetrícia. Os cinco bolseiros - Carla Madail, Carla de Sousa, Susana Maia, Luís Campos e Ricardo Coentre - vão agora começar os seus estudos de doutoramento depois de terem garantido o financiamento.

Este era o problema com que, por exemplo, Susana Maia se debatia. A médica especialista em ginecologia-obstetrícia do Hospital CUF Porto vai criar um programa educacional e de treino em laparoscopia ginecológica e neste momento estava com falta de financiamento. "Com esta bolsa tudo se vai tornar um bocadinho mais fácil. Porque eu sou médica e é preciso fazer a parte informática, com o financiamento esperamos dar agora o grande pontapé no sistema", explica.

Susana Matias pretende melhorar o treino e a prática dos médicos em cirurgias laparoscópicas, já que esta por ser tratar de uma técnica pouco invasiva e que "exige capacidades psicomotoras diferentes da cirurgia aberta". "Nós propomos um modelo inovador que vai permitir combinar treino monitorizado e com uma avaliação em tempo real, daquilo que está a fazer bem e mal", indica a investigadora.

Também focado numa parte mais técnica é a tese de Carla Madail. Neste seu caso, a especialista em ortopedia está a investigar um "sistema de suspensão novo para a fixação do ligamento cruzado anterior". Em particular "a rigidez e a resistência dessa biomontagem", esclarece a médica do CUF Infante Santo.

Outra das bolsas financiadas é a do médico Luís Campos, especialista em medicina interna. O médico da Clínica CUF Belém pretende estudar até 2018 as questões da morbilidade nos doentes internados nos hospitais do Sistema Nacional de Saúde (SNS). Segundo a apresentação da tese, o investigador pretende responder a questões como a relação da morbilidade com a idade e o sexo dos doentes internado ou o impacto das doenças crónicas associadas na demora média, taxa de complicações e mortalidade intrahospitalar e readmissões aos 30 dias.

As doenças cardíacas estão também entre as teses distinguidas. Carla de Sousa, do CUF Porto, vai analisar o pós cirurgia na sequência de estenose aórtica severa -a doença valvular mais prevalente nos países desenvolvidos - com o objetivo de "identificar os fatores que podem predizer as complicações, a qualidade de vida e sobrevida após a cirurgia".

A cardiologista acrescenta que espera que "os resultados obtidos possam posteriormente ser extrapolados para a população global de doentes com estenose aórtica severa, permitindo identificar os melhores candidatos cirúrgicos e predizer o curso da doença, de acordo com as características individuais de cada paciente".

Este vai ser um trabalho feito em parceria com a Universidade de Harvard, onde se vai realizar "a análise histológica das válvulas excisadas na cirurgia"

A última bolsa vai ser entregue a Ricardo Coentre, do Hospital de Vila Franca de Xira (gerido pela Mello Saúde). O psiquiatra vai analisar a depressão e o comportamento suicida após o primeiro episódio psicótico. Ao estudar as fases iniciais das doenças psicóticas, o médico espera conseguir pôr em prática "uma abordagem precoce" e alterar "significativamente o curso das doenças".

Para Salvador de Mello, presidente do Conselho de Administração da José de Mello Saúde, "esta é uma iniciativa sem paralelo em Portugal" que "revela a preocupação da José de Mello Saúde em valorizar o mérito e incentivar a excelência dos seus profissionais apostando numa investigação clínica ao serviço dos cuidados de saúde que são prestadosa quem nos procura, tanto nas Unidades CUF como nos Hospitais que gerimos em Parceria Público-Privada, em Braga e Vila Franca de Xira".