Cientistas inventam bateria de lítio com extintor incluído

Possível solução para o problema das baterias de iões de lítio que podem incendiar-se se aquecerem muito rapidamente

Cientistas inventaram uma bateria de lítio que já tem material extintor incluído que é ativado em caso de sobreaquecimento. A bateria tem uma cápsula com trifenilfosfato, um composto químico que funciona como retardador de chamas, que derrete quando a temperatura ultrapassa os 150º Celsius, libertando a substância.

Nos testes, as chamas das baterias extinguiram-se em 0,4 segundos, segundo os resultados publicados na revista Science Advances.

As baterias de iões de lítio são usadas em vários aparelhos, como telemóveis, computadores portáteis e câmaras fotográficas, e podem incendiar-se se aquecerem muito rapidamente ou se, por algum erro, alguns componentes internos entrarem em contacto direto.

O último caso mais notável é o das baterias do telemóvel Galaxy Note 7 da Samsung. Várias pessoas relataram que o smartphone aqueceu demasiado e pegou fogo, e este chegou a ser banido dos aviões antes de a marca mandar recolher todos os exemplares deste modelo.

Apesar de a Samsung ainda não ter revelado os resultados da investigação sobre a causa dos incêndios, uma fonte da marca revelou que todos os indícios levam a crer que a culpa é da bateria, segundo a Reuters.

Tentativas passadas de incorporar o trifenilfosfato nas baterias de lítio tinham resultado numa pior performance das mesmas segundo o estudo, citado pela BBC.

A falta de inovação da tecnologia das baterias tem contrastado a rápida evolução dos aparelhos que as usam. Ian Fogg, analista da empresa IHS, disse que "há uma enorme pressão para melhorar esta tecnologia".

"É uma das áreas que mais tem atrasado os dispositivos móveis e outros produtos", disse Fogg à BBC, acrescentando que é difícil melhorar a capacidade das baterias e "há sempre o risco" de falharem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG