CGTP reage ao novo governo. Vai continuar a exigir alteração de políticas

Ana Mendes Godinho mantém-se como ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social no novo Governo de António Costa

A CGTP prometeu esta quarta-feira que vai continuar a exigir ao novo Governo a alteração das políticas, de forma a responder às necessidades dos trabalhadores, da população e do país, independentemente da ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, ser reconduzida.

"Para a CGTP o que importa não são as pessoas que ficam nos ministérios, mas sim as políticas que serão seguidas pelo novo Governo. O que nos interessa é saber o que o Governo pretende fazer, sobretudo face à atual situação de aumento brutal do custo de vida", disse à agência Lusa a secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha.

Quanto à nova estrutura do Governo, a sindicalista considerou que "as pastas estão lá todas, embora distribuídas de outra forma".

"Aguardamos agora para ver o programa do Governo, com a certeza de que vamos continuar a exigir a alteração de políticas, de forma a darem resposta às necessidades dos trabalhadores e do país", disse Isabel Camarinha.

O Presidente da República aceitou a lista de 17 ministros proposta por António Costa para o XXIII Governo.

Ana Mendes Godinho mantém-se como ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social no novo Governo de António Costa, depois de mais de dois anos no cargo, marcado pela adoção de apoios no âmbito da pandemia de covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG