Cerca de 200 Escuteiros vão apoiar populações e bombeiros afetados

Corpo Nacional de Escutas mobilizou voluntários para prestarem auxílio nas zonas mais afetadas, nomeadamente Aveiro, Madeira ou Viseu

O Corpo Nacional de Escutas (CNE) mobilizou cerca de 200 escuteiros voluntários para ajudarem as populações afetadas pelos incêndios que têm assolado o país, nomeadamente Aveiro, Braga, Madeira e Viseu, algumas das zonas mais atingidas.

"O Departamento Nacional de Proteção Civil e Segurança do Corpo Nacional de Escutas (CNE) mobiliza cerca de duzentos voluntários no apoio às populações afligidas pelos incêndios que têm assolado todo o país", anunciou hoje o CNE.

Através das suas unidades locais, quase duzentos voluntários do CNE prestam de forma alternada um apoio incansável às várias entidades envolvidas nas operações, na angariação e fornecimento de alimentação, bebidas, e apoio ao nível de evacuação dos espaços e informação das populações.

"Estas equipas desempenham um trabalho de segunda linha - trabalhos humanitários em sintonia e por ordem do Comando de Operações (não estando nunca em contacto direto com a extinção de incêndios) - em serviços que não colocam em risco os escuteiros, como por exemplo quartéis de bombeiros, juntas de freguesia, ou as próprias sedes dos agrupamentos", explicam os escuteiros.

A este propósito, o CNE salienta a necessidade de "um apoio concertado", pelo que não são recomendadas ações sem indicação ou orientação do comando de operações.

A colaboração entre o CNE e a Proteção Civil está definida através do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF), que estipula o respetivo âmbito de competências.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG