CEO da Uber apanhado em vídeo a discutir com motorista da empresa

Travis Kalanick foi confrontado pelo motorista, não gostou e atacou-o. Já veio pedir desculpa

Não está fácil para a Uber nos últimos tempos: depois de a empresa ter sido obrigada a abrir uma investigação para apurar a veracidade das acusações sobre assédio sexual, feitas por uma antiga engenheira da Uber, agora foi o CEO que foi apanhado numa acesa discussão com um dos motoristas.

O vídeo do episódio, filmado pela câmara no carro do condutor, foi divulgado pela Bloomberg. Mostra a viagem de Travis Kalanick, que estava acompanhado por duas mulheres, e como no final o CEO da Uber foi confrontado pelo motorista, que aproveitou para lhe dizer que está falido por causa dele.

A conversa começa com Fawzi Kamel, o condutor, a fazer ao CEO aquela que é uma das queixas recorrentes dos motoristas da Uber: "Está a elevar os padrões, mas a descer os preços", disse ele a Kalanick. Os dois envolvem-se num debate sobre o estado do mercado dos transportes até que Kamel aponta: "As pessoas já não confiam em vocês. Perdi 97 mil dólares [cerca de 91 mil euros] por vossa causa. Estou falido por vossa causa, fazem mudanças todos os dias".

O motorista referia-se aos preços para o segmento de carros de luxo da Uber, o Uber Black: os condutores que quiserem trabalhar nesta área têm de ter viaturas de cor preta e com menos de três anos, mas os preços das viagens são cada vez mais baratos e sofrem com a concorrência dos restantes segmentos da própria Uber, nomeadamente o UberX, com carros de gama média e tarifas ainda mais baixas.

Mas Kalanick, em vez de abordar a questão, respondeu de forma pessoal e decidiu atacar o motorista: "Algumas pessoas não gostam de assumir responsabilidade das próprias merdas", acusou, já sem qualquer filtro. "Culpam outras pessoas por tudo que lhes acontece na vida. Boa sorte". E saiu do carro, batendo com a porta. "Boa sorte para si também. Mas sei que não vai longe", grita-lhe ainda o condutor.

Segundo a Bloomberg, no sistema de estrelas que os motoristas têm disponível para classificar os passageiros, Kamel deu apenas uma estrela - em cinco possíveis - ao CEO da empresa.

Perante a divulgação do vídeo, na noite de terça-feira o CEO da Uber pediu desculpa pelo comportamento que teve para com o motorista. A declaração de Travis Kalanick foi enviada por e-mail aos funcionários da empresa e colocada igualmente no blog da Uber. No texto, o CEO começa por dizer: "tenho a certeza de que já viram o vídeo em que tratei um motorista da Uber de forma desrespeitosa. Dizer que estou envergonhado é pouco. O meu trabalho como vosso líder é liderar e isso começa comigo a comportar-me de uma forma que nos deixe a todos orgulhosos. Não foi o que fiz".

Na mesma nota, Kalanick diz que o vídeo é um "reflexo" daquilo em que se tornou e que precisa de mudar. "Esta é a primeira vez que admiti que preciso de ajuda para liderar e pretendo obtê-la. Quero pedir sincera desculpa ao Fawzi, assim como à comunidade de motoristas e passageiros e à equipa da Uber", conclui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG