Cartões clonados em Sesimbra serviram para levantar mais de 20 mil euros

O grupo copiou elementos de segurança de 116 cartões bancários cujas cópias permitiram concretizar 153 transações, através de levantamentos em vários concelhos alentejanos

A Polícia Judiciária de Setúbal, concluiu uma investigação, com carácter transnacional, iniciada em agosto de 2015, por suspeita da prática dos crimes de burla informática e contrafação de títulos equiparados a moeda.

Segundo o comunicado da PJ, na sequência da "Operação Relâmpago" e com a colaboração da SIBS/PAYWATCH, foram detidos três homens, com idades entre os 37 e os 41 anos, a quem foi decretada a prisão preventiva, tendo ainda sido constituído arguido um cidadão nacional, na mesma faixa etária.

O "modus operandi "dos detidos consistiu em colocar numa caixa multibanco (ATM), em Sesimbra, um dispositivo que lhes permitiu copiar elementos de segurança de 116 cartões bancários, cujas cópias contrafeitas foram utilizadas num total de 320 transações, de valor que ascende a 43.570,00 euros. Foram concretizadas 153 dessas transações. O grupo ter-se-à apropriado de 20.440,00 euros, através de levantamentos realizados em Évora, Montemor-o-Novo, Vendas Novas, Sines, Santiago Cacém, Ferreira do Alentejo e Beja

No momento da sua detenção, os arguidos preparavam-se para fazer o mesmo numa outra ATM do Montijo.

O comunicado acrescenta que durante a investigação, que permitiu desmantelar uma rede organizada com carácter transnacional dirigida à prática deste tipo de crime, e na qual foram incorporados dezenas de inquéritos, foram inquiridas mais de uma centena de pessoas. Foi ainda apreendido diverso material informático e ferramentas, carros, centenas de cartões, diversos telemóveis, comprovativos de transferências feitas através da "Western Union" e elementos indiciadores de idênticas práticas no estrangeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG