Chilenos que fugiram de Caxias foram detidos em Madrid

Polícia nacional espanhola confirmou que os homems em fuga foram capturados na capital, ainda no domingo

Dois dos três reclusos que fugiram do estabelecimento prisional de Caxias, Oeiras, foram detidos em Madrid, no domingo, com documentos de identificação falsos, disse à Lusa fonte da polícia nacional espanhola. A mesma fonte adiantou que os dois reclusos, de nacionalidade chilena, ficaram sob custódia do Tribunal Superior de Justiça.

O Ministério da Justiça confirmou à agência Lusa apenas a detenção de um dos homens. "A Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais confirma que já se encontra sob custódia um dos reclusos de nacionalidade chilena ontem evadido do Estabelecimento Prisional de Caxias, estando a envidar-se todos os esforços no sentido de recapturar os outros dois evadidos", avançou à Lusa o diretor de relações externas daquela entidade.

A notícia da captura de um dos detidos foi avançada pela Rádio Renascença, citando fonte oficial: Paulo Moimenta de Carvalho, subdiretor da Direção-geral de Reinserção e Serviços Prisionais, garantiu também à rádio que o segundo chileno estaria prestes a ser detido. " Neste momento temos um indivíduo sob custódia e o outro muito perto de o ser, pois a sua área de intervenção já está delimitada", disse o responsável à Renascença. O Expresso avança que ambos os chilenos foram capturados e estariam no aeroporto de Madrid. Esta informação não foi ainda confirmada oficialmente pelas autoridades portuguesas. O recluso português que fugiu continuará a monte.

Os dois chilenos fugiram na madrugada de domingo da cela onde estavam detidos, juntamente com o luso-israelita. Só na manhã de domingo, quando o chefe dos guardas de Caxias estava a fazer a ronda pelo exterior de um dos pavilhões, se apercebeu de que havia um problema na rede que delimita a cadeia, que estava cortada. Dado o alarme, os guardas que estavam de serviço aperceberam-se que três presos, todos arguidos em processos por furto e roubo, tinham fugido pela janela de uma cela, cujas grades já vinham a serrar há algum tempo. Saltaram, a distância ao solo não era muito grande, aproveitaram o fosso junto à prisão para se esconder e desapareceram pelo descampado que existe naquela zona.

De acordo com as fontes consultadas pelo DN, na cela estava um quarto recluso - de nacionalidade brasileira - que terá dito aos guardas não se ter apercebido de nada pois tinha tomado medicação.

Esta foi a terceira vez desde outubro do ano passado que reclusos tentam fugir de Caxias. A prisão do concelho de Oeiras é considerada pela Direção-geral como de alta segurança e, segundo dados oficiais de dezembro de 2015, tinha 518 presos quando devia ter 334.

Em atualização

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG