Câmara de Lamego abre conta para ajudar famílias das vítimas

As receitas destinam-se a ajudar as "crianças e viúvas do trágico acidente"

A Câmara de Lamego abriu uma conta solidária que tem como objetivo angariar receitas para os filhos e as viúvas das vítimas das explosões ocorridas no dia 4, na fábrica de pirotecnia Egas Sequeira, anunciou esta segunda-feira a autarquia.

Segundo a Câmara, as receitas destinam-se a "fins de beneficência e assistência das crianças e viúvas do trágico acidente na fábrica de pirotecnia", situada na freguesia da Penajóia, do qual resultaram oito mortos.

"Ao longo dos últimos dias, muitos cidadãos anónimos e beneméritos têm manifestado a intenção de ajudar a minorar o sofrimento e a precária situação destas pessoas", justifica.

A conta solidária ficará ativa até 31 de agosto.

Há uma semana, a Câmara de Lamego aprovou "um sentido voto de pesar" às famílias enlutadas e reiterou "a disponibilização de todos os serviços e meios ao seu alcance para ajudar a mitigar os efeitos devastadores que estas perdas tiveram".

Na sequência das explosões na fábrica de pirotecnia, seis corpos foram transportados no dia 05 para o Instituto de Medicina Legal do Porto, mas duas pessoas continuaram desaparecidas.

No dia seguinte, à noite, as buscas pelos restos mortais foram encerradas, após terem sido encontrados mais vestígios biológicos que apontavam para a confirmação de oito mortos.

Hoje, fonte do Ministério da Justiça disse à agência Lusa que cinco das vítimas mortais já foram identificadas, através das impressões digitais.

"Os dois últimos foram identificados na terça-feira (dia 11), tendo sido dado conhecimento ao magistrado do Ministério Público responsável pelo processo e posteriormente às famílias", referiu a mesma fonte.

No que respeita aos três corpos que falta identificar, "sê-lo-ão através de análises genéticas", um processo que "se prevê estar concluído até ao final desta semana", acrescentou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG