Cadáveres ficam em sala sem refrigeração no centro de saúde

Administração Regional de Saúde do Algarve fez obras numa sala do centro de saúde, mas concluiu que é demasiado pequena

Sempre que há uma morte no centro de saúde de Vila Real de Santo António os corpos são colocados numa sala sem qualquer refrigeração. A denúncia é do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, à TSF.

Nuno Manjua, dirigente do sindicato no Algarve, explicou à rádio que a sala que foi construída para resolver o problema "não tem espaço para tratar dos corpos". Assim, o problema mantém-se em relação aos cadáveres que aguardam transporte para as funerárias. Além disso, o sindicato salienta que os corpos passam pelo meio dos utentes que aguardam atendimento.

O Presidente da Administração Regional de Saúde do Algarve, Moura Reis, admitiu à TSF que a sala onde fizeram obras é pequena demais, mas garantiu que já tinham sido dadas ordens para a utilização de uma outra sala, "mais refrigerada e por onde os corpos não têm de passar frente aos utentes".

A ARS diz ainda que a morgue municipal está apenas a 30 metros.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.