Brasileiro suspeito de matar três mulheres em Portugal foi acusado

As mulheres foram dadas como desaparecidas em fevereiro e os seus corpos só foram descobertos em agosto, num hotel para cães e gatos em Tires

O Ministério Público do Brasil acusou quarta-feira o pedreiro Dinai Alves Gomes, de 35 anos, por suspeita da morte e ocultação dos cadáveres de três brasileiras que viviam na localidade portuguesa de Tires, no distrito de Cascais.

Em comunicado, o Ministério Público afirmou que, "de acordo com a acusação, o suspeito matou as brasileiras Lidiana Neves Santana e Thayane Milla Mendes Dias para assegurar a execução de outro crime, o homicídio da também brasileira Michele Santana Ferreira, alegada amante de Dinai, que viria a ocorrer horas mais tarde".

"O objetivo era evitar que a mulher do pedreiro no Brasil descobrisse o relacionamento extraconjugal", adianta o documento.

Dinai Alves Gomes morava em Portugal desde 2004, trabalhando como encarregado geral do Canil e Gatil Quinta Monte dos Vendavais, situado em Tires.

Embora tivesse uma mulher e uma filha no Brasil, o pedreiro começou um relacionamento com Michele Santana Ferreira, que emigrara para Portugal em 2008.

Depois de cometer os assassinatos, em fevereiro do ano passado, Dinai terá ocultado os três cadáveres, os quais só foram descobertos em agosto. O acusado também teria cometido alguns roubos investigados em Portugal.

O pedreiro está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, cidade do interior do Estado de Minas Gerais, desde o dia 05 de setembro do ano passado.

No Brasil, o assassinato tem pena prevista de 12 a 30 anos. A ocultação de cadáver tem pena de um a três anos e o roubo, pena de quatro a 10 anos.

A acusação contra Dinai Alves Gomes foi recebida pelo juízo da 11ª Vara da Justiça Federal em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG