Boletim da DGS. 41 mortos e 718 infetados nas últimas 24 horas

Os dados da pandemia em Portugal da Direção-Geral de Saúde (DGS) indicam que, nas últimas 24 horas, morreram 41 pessoas, registando-se 718 novas infeções. Saiba os números de Portugal e do mundo.

Há agora 2165 doentes internados em Portugal, dos quais 484 estão em unidades de cuidados intensivos, diz a Direção Geral de Saúde. Este domingo foram anunciados 718 novos infetados e 41 mortes nas últimas 24 horas.

O número geral de internados diminuiu em 15 face a ontem, acontecendo o mesmo com os doentes que estão nos cuidados intensivos (menos oito do que há 24 horas).

Os internamentos em cuidados intensivos registam hoje o valor mais baixo desde 19 de dezembro, quando estavam nestas unidades 485 pessoas.

O número de novos infetados (718) remete para valores de meados de setembro (605 em 16 de setembro e 770 no dia seguinte). Contudo, os valores de hoje são valores de fim de semana. Aos sábados e domingos o número de novos infetados baixa sempre porque há muito menos testagem, dado os laboratórios estarem encerrados.

Os dados divulgados hoje indicam ainda que 1 664 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 718977 o número total de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

Há 28 dias consecutivos que o número de recuperados supera o de novas infeções.

Com os números hoje divulgados, Portugal totaliza desde o início da pandemia (março de 2020) 804 562 casos da doença confirmados e 16 317 mortes.

Das 41 mortes ocorridas nas últimas 24 horas, mais de metade (26) foram na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT). De resto, cinco no Norte e outros cinco na região centro, três no Alentejo e duas no Algarve. Na Madeira e dos Açores não morreu ninguém. O número de novos infetados nos Açores voltou a subir: ontem eram apenas quatro, hoje são 18.

Os números no mundo

A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 2 526 075 pessoas em todo o mundo, desde que a Organização Mundial de Saúde registou o inicio da doença no final de dezembro de 2019, segundo informação recolhida hoje pela agência AFP.

Mais de 113,75 milhões de casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia, dos quais pelo menos 69,7 milhões foram considerados curados.

Os números têm por base relatórios diários das autoridades de saúde de cada país e excluem revisões posteriores.

No sábado, foram registados mais 8 713 óbitos e 395,6 mil novos casos em todo o mundo. Os países que registaram o maior número de novos óbitos nos seus relatórios foram os Estados Unidos da América com 1 849 mortes, Brasil com 1286 e o México com 783.

Os Estados Unidos da América (EUA) são, em números absolutos, o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 511 998 mortes para 28,5 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo a contagem feita pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos EUA, os países mais afetados são o Brasil com 254 221 mortes e 10,5 milhões de casos, o México com 185.257 mortes (2 milhões de infetados), a Índia com 157 051 mortes (11,1 milhões de infetados) e o Reino Unido com 122 705 mortos (4,2 milhões de infetados).

Entre os países mais afetados, no que toca aos que têm mais de um milhão de habitantes, a Bélgica é o que reporta o maior número de mortes relativamente à sua população, com 190 mortes por 100 mil habitantes, seguida da República Checa (190), Eslovénia (185), Reino Unido (181) e Itália (161). Portugal está na 6ª posição desta tabela mundial (159 mortos por cem mil habitantes).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG