Bispo José Ornelas investigado por alegada omissão de abusos sexuais a crianças

Os factos terão ocorrido entre 2003 e 2015 quando liderava a congregação dos sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus, de acordo com uma notícia do jornal Público.

José Ornelas, bispo de Leiria-Fátima e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, está a ser alvo de uma investigação do Ministério Público por alegado encobrimento de casos de abusos sexuais a crianças de um orfanato em Moçambique.

A notícia foi avançada este sábado pelo jornal Público, que teve acesso à denúncia que foi reencaminhada pela Presidência da República, referindo que o caso já tem mais de 10 anos, referindo-se a uma altura em que José Ornelas liderava a congregação dos sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus.

Nessa altura, entre 2003 e 2015, o bispo terá omitido das autoridades o abuso de vários menores em Moçambique e em Portugal.

Ainda de acordo com o jornal, o professor português João Oliveira terá ouvido de um aluno, que frequentava o centro polivalente Leão Dehon, relatos de abusos sobre crianças no orfanato e denunciou o caso a José Ornelas. Contudo, apenas obteve como resposta duas cartas a agradecer os alertas e a indicar que o padre Cominotti, que estava sob dependência da diocese e não na sua.

Onze depois, como forma de evitar qualquer esquecimento do caso, o professor enviou uma queixa à Presidência da República, que a reencaminhou então para a Procuradoria-Geral da República a acusar D. José Ornelas de não ter atuado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG