Bispo José Ornelas assume diocese de Leiria-Fátima a 13 de março

O bispo de Setúbal e atual presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), José Ornelas, foi nomeado esta sexta-feira pelo Vaticano como novo bispo da diocese de Leiria-Fátima. Vai substituir António Marto, que garante que a diocese "está de parabéns".

O bispo José Ornelas, nomeado esta sexta-feira pelo Vaticano novo bispo da diocese de Leiria-Fátima, anunciou que assumirá o novo cargo no dia 13 de março, continuando até essa data nas funções de administrador diocesano em Setúbal.

O também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que vai substituir o cardeal António Marto à frente da diocese de Leiria-Fátima, em mensagem dirigida aos fiéis de Setúbal afirma sentir "um misto de sentimentos contrastantes, que não é fácil de exprimir", mas que resume "em duas atitudes, de Jesus e de Maria" e na sua disponibilidade para fazer o que Deus lhes pediu.

"Foi procurando assumir essa disponibilidade que cheguei a Setúbal, há seis anos, e é com a mesma atitude que agora parto para Leiria-Fátima", escreve José Ornelas na mensagem.

"Levarei sempre comigo a memória agradecida do vosso acolhimento, participação e apoio. Aqui, convosco, aprendi a ser Bispo, embora com muitas deficiências, erros e falhas, de que vos peço perdão e que procurarei melhorar. Não nego que a partida me causa tristeza, não por mim, mas pelos projetos que estavam a surgir ou esperando melhores condições para serem lançados. Ficam nas mãos de Deus e confiados ao vosso discernimento e do próximo Bispo", acrescenta o prelado, sublinhando, no entanto: "Não me considero indispensável ou insubstituível, e muito menos com direito ao que quer que seja".

Na mesma mensagem, José Ornelas dirige-se, também, aos fiéis da sua nova diocese, sublinhando que o liga "uma grata amizade fraterna, nascida à sombra do Evangelho e no serviço da Igreja", ao cardeal António Marto.

"Assumo com gratidão e como desafio a herança de pastor que ele me deixa, no seguimento de outros dedicados bispos, de quem D. Serafim de Sousa Ferreira e Silva [bispo emérito de Leiria-Fátima, antecessor de António Marto na diocese] é testemunha, felizmente presente na Diocese", acrescenta o presidente da CEP.

Depois, diretamente para os fiéis e clero da diocese de Leiria-Fátima, exorta a que, juntos, procurem "escutar o chamamento de Deus a toda a Igreja, convocada para um caminho sinodal de escuta, comunhão participada e missão".

José Ornelas deixa ainda uma palavra ao reitor do Santuário de Fátima, Carlos Cabecinhas, e "a quantos com ele servem este local especial de referência para a Igreja e o mundo".

"Quando comecei o meu ministério episcopal em Setúbal, percorri a Diocese com a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima que aqui estava de visita. Ela foi a minha primeira guia na missão que Deus me confiava. Agora, peço-lhe que me acompanhe nesta nova missão em Leiria-Fátima", escreve o bispo nomeado.

"Aprendamos a ser uma Igreja cuidadora de todos, especialmente dos mais pequenos e frágeis como ela fez com os pastorinhos, aos quais se revelou, consolou, fortaleceu e deu esperança, para vencerem inúmeras dificuldades, como a pandemia, a doença, a guerra e a própria morte", apelou.

António Marto: Diocese está de parabéns

O ainda bispo de Leiria-Fátima, António Marto, que havia pedido para ser substituído, considerou que a diocese está "de parabéns" com a nomeação de José Ornelas para seu novo bispo, frisando que é "uma personalidade reconhecida e muito estimada na sociedade civil e na Igreja".

O cardeal António Marto, que passa a ser administrador apostólico da diocese, até à posse de José Ornelas como bispo titular, em 13 de março, adiantou, numa mensagem divulgada após o anúncio de nomeação do novo bispo pelo Vaticano, que o até agora titular da diocese de Setúbal "vem encontrar uma Igreja viva e ansiosa de renovação missionária, que o vai acolher de coração e braços abertos".

"Cada bispo que chega traz carismas diferentes e complementares, escreve uma nova página, inscreve um novo recomeçar. O senhor D. José Ornelas traz consigo uma riqueza enorme e única para imprimir um novo impulso à renovação pastoral da Diocese e do Santuário de Fátima. Como missionário dehoniano, e, depois, Superior Geral, durante dez anos, da Congregação dos Padres Dehonianos, é portador de uma enriquecedora visão e experiência universal da Igreja e do mundo na diversidade dos cinco continentes", escreve o cardeal Marto.

Para o agora administrador apostólico da diocese de Leiria-Fátima, Ornelas, "como Bispo de Setúbal e Presidente da Conferência Episcopal tem dado provas de uma experiência pastoral aliada a um dinamismo missionário duma Igreja próxima e em saída, capaz de tomar decisões corajosas e inovadoras, na linha do propósito de renovação do Papa Francisco".

Quanto à sua substituição, António Marto é pragmático, ao afirmar que "na vida (...) há um tempo para começar e um tempo para terminar, um tempo para chegar e um tempo para partir, um tempo para falar e um tempo para calar".

"Neste sentido, ao aproximar-se a idade que o direito canónico estabelece como limite destas funções e consciente também de maior limite das forças físicas e anímicas para exercer adequadamente o cargo, face às exigências pastorais da Diocese e do Santuário de Fátima, apresentei ao Santo Padre o pedido de renúncia ao governo pastoral da Diocese, quando completei 74 anos. Quero agradecer, profundamente reconhecido, a compreensão tão paternal, tão amiga e afetuosa do Papa Francisco, manifestada pessoalmente, quando lhe apresentei o meu pedido", escreve na mensagem.

Quanto ao legado que deixa, considera que "as realizações ficam aquém das aspirações".

No texto, o cardeal António Marto assegura que na sua função não buscou "honras nem aplausos".

"Todavia, levo uma riqueza que não trocaria por todo o ouro do mundo: o coração cheio de nomes e rostos, que são os vossos, sobretudo dos 'meus amiguitos e amiguitas' [forma como se dirige às crianças nas suas celebrações]. E levarei comigo o título mais honroso: o de bispo emérito de Leiria-Fátima! Como levarei sempre comigo, gravada na retina da alma e do coração, a imagem de Nossa Senhora de Fátima, querida e terna Mãe, e dos santos Pastorinhos, de quem tenho recebido tanta ternura e tantas graças", conclui o cardeal António Marto.

Em Setúbal desde 2015

José Ornelas, 68 anos, foi nomeado bispo de Setúbal em 24 de agosto de 2015, substituindo no cargo Gilberto Canavarro dos Reis, sendo presidente da CEP desde 16 de junho de 2020.

Natural do Porto da Cruz, na ilha da Madeira, onde nasceu em 05 de janeiro de 1954, fez o seu percurso religioso na Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), tendo sido ordenado padre em 09 de agosto de 1981.

Foi superior da Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus, cargo que assumiu em 01 de julho de 2000, tendo sido eleito superior geral dos Dehonianos em 27 de maio de 2003, cargo que ocupou até 06 de junho de 2015.

Especialista em Ciências Bíblicas, doutorado em Teologia Bíblica pela Universidade Católica Portuguesa, José Ornelas chegou a fazer formação missionária em Moçambique.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG