Autoridades sul-africanas concluem autópsia a Rendeiro

Os agentes da polícia sul-africana recolheram provas fotográficas para a investigação policial em curso às causas da morte do ex-banqueiro português.

A autópsia do antigo presidente do BPP João Rendeiro foi realizada esta terça-feira por uma médica especialista forense sul-africana na presença da polícia da África do Sul (SAPS), disse fonte da morgue à Lusa.

Durante o procedimento médico, coadjuvado por técnicos da morgue de Pinetown, subúrbios da cidade portuária de Durban, os agentes da polícia sul-africana recolheram provas fotográficas para a investigação policial em curso às causas da morte do ex-banqueiro português na cela da prisão de Westville, onde se encontrava detido desde dezembro de 2021, adiantou.

A fonte disse ainda à Lusa que o corpo de João Rendeiro se encontra na morgue "pronto para ser recolhido", acrescentando que a instituição "não tem ideia quem o irá fazer, se algum familiar ou as autoridades portuguesas".

O ex-banqueiro foi encontrado morto na prisão de Westville onde estava detido, na África do Sul, na última sexta-feira

June Marks, advogada de Rendeiro, disse na altura à Lusa que o antigo presidente do Banco Privado Português (BPP​) foi encontrado enforcado na cadeia e que as autoridades estavam a investigar as circunstâncias do que aconteceu.

João Rendeiro, de 69 anos, estava a aguardar uma decisão sobre o processo de extradição para Portugal numa prisão sul-africana.

"Assim que tivermos os resultados da autópsia, serão anunciadas as causas da morte, a investigação continuará para determinar as causas da morte. Estamos também a investigar a hora em que se realizou a última ronda [às celas], a hora que foi visto na cela e quando é que foi constatada a morte", explicaram na altura as autoridades sul-africanas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG