Arrancou a temporada taurina. E dia 26 é Dia da Tauromaquia em Mourão

Do primeiro dia de fevereiro ao primeiro de novembro, a festa dos toiros vai dominar atenções e há já dois festivais taurinos marcados em Mourão.

Já arrancou a temporada tauromáquica portuguesa em Mourão (Alentejo), como é tradicional, com o primeiro dos dois festivais taurinos que constituem a Feira Taurina de Mourão, em honra de Nossa Senhora das Candeias. Uma Feira Taurina de alta qualidade organizada pelo ganadeiro Dr. Joaquim Grave, com os lucros a reverterem, como habitualmente, a favor do Abrigo Infantil local.

A 1 de fevereiro, feriado local, lidaram-se já seis novilhos-toiros da ganadaria de Paulo Caetano, marcando presença em praça os cavaleiros praticantes Joaquim Brito Paes, António Ribeiro Telles (filho), Tristão Ribeiro Telles, o novilheiro luso Diogo Peseiro e os espanhóis Manuel Perera e Erik Olivera. As três primeiras pegas da temporada estiveram a cargo dos Amadores de São Manços, capitaneados por João Fortunato.

Em 2021, ano fortemente marcado pela pandemia e em que a época taurina foi reduzida a poucos meses, o número de touradas cresceu, apesar das dificuldades, passando de 48 para 121 touradas, e o público aumentou, passando de 93 400 em 2020 para 182 600 espectadores em 2021.

No próximo sábado, dia 5, realiza-se um Festival com grandes nomes portugueses e espanhóis. "A partir das 15h, lidam-se seis novilhos de Murteira Grave para o rejoneador espanhol Andrés Romero e para o cavaleiro João Salgueiro da Costa e na lide a pé vão estar os matadores de toiros Alvaro Lorenzo, David de Miranda, Diego Carretero e João Silva 'Juanito'. Pegam os Amadores de Montemor, liderados por António Pena Monteiro", confirma a Federação da Tauromaquia.

"Esperamos que 2022 marque o início do regresso à normalidade no setor cultural, pelo que esperamos a continuação da recuperação da atividade tauromáquica, depois das grandes restrições aos eventos que aconteceram nos últimos dois anos, devido à pandemia. O setor tauromáquico foi muito resiliente, organizou-se para resistir ao impacto da covid e agora quer voltar a trabalhar em normalidade, gerando riqueza e emprego", confirmou Helder Milheiro, secretário-geral da Protoiro. "A cultura é segura e estão todos convidados a irem às praças de toiros, desfrutar da mais genuína cultura portuguesa."

Espera-se, uma vez mais, duas praças cheias nesta "romaria" que todos os anos leva milhares de aficionados portugueses e espanhóis a este município situado nas margens da barragem do Alqueva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG