Morreu o coronel Chung Su Sing, um dos fundadores do GOE da PSP

Militar português nasceu em Timor-Leste, filho de pais macaenses. Pertenceu aos comandos e foi um dos fundadores do Grupo de Operações Especiais. Morreu esta sexta-feira em Lisboa.

DN
Chung Su Sing envergando a farda dos comandos© DR

A notícia da morte do coronel Chung Su Sing foi conhecida através de uma mensagem publicada no Facebook pelo primeiro-ministro de Timor-Leste, Taur Matan Ruak, na qual o governante refere que "no dia da sua partida, ficam as boas lembranças e as saudades dos seus familiares e milhares de amigos, em Timor-Leste e em vários países do Mundo, que tiveram o privilégio de conviver com este Comando de Operações Especiais".

"Em nome pessoal, da minha esposa Isabel e da minha família, gostaria de transmitir as minhas condolências para todos os familiares e amigos enlutados, fazendo votos e orando para que possam encontrar a força e o consolo necessário neste momento difícil", escreveu ainda o chefe do governo timorense.

De acordo com Matan Ruak, o coronel Chung Su Sing morreu em Lisboa esta sexta-feira.

O militar português nasceu em Timor-Leste, filho de pais portugueses. Começou como alferes graduado em tenente na Escola Prática de Infantaria, em Mafra, onde foi instrutor. Mas foi como comando que ficou conhecido tanto em Portugal, como em Timor-Leste, em especial durante a sua passagem por Angola.

A coragem e capacidade de comando demonstrada em combate valeu-lhe, já com o posto de capitão, a condecoração com a Cruz de Guerra de 2ª Classe. "O prestígio e respeito granjeado no seio da "família militar", alimentaram várias histórias sobre o seu passado, enquanto combatente, em particular, aquela que dá conta de que quando estava "debaixo de fogo" durante uma emboscada inimiga, era capaz de descarregar um carregador de G3, enquanto saltava de um Mercedes-Benz Unimog até chegar ao chão", pode ler-se numa curta biografia publicada por Matan Ruak junto à sua mensagem de condolências.

No início dos anos de 1980, foi um dos fundadores do Grupo de Operações Especiais da Polícia de Segurança Pública.

A última referência que se encontra sobre a sua carreira, enquanto militar no ativo, é o facto de ter sido promovido a coronel, com a antiguidade de 31 de dezembro de 1984, ficando a 27 de julho de 1990 desligado da efetividade do serviço, passando à situação de reforma em 31 de dezembro de 1995.

Entre 2015 a 2017, foi Membro do Conselho Superior da Liga Multissecular Amizade de Portugal-China. A partir de 2017, não foi possível apurar mais nenhuma informação sobre a sua atividade em termos profissionais ou cívicos, de acordo com a nota biográfica citada pelo primeiro-ministro timorense.