Matriz de risco: país já está na zona vermelha

Estão internadas 443 pessoas com covid-19, das quais 97 em unidades de cuidados intensivos, indicam os dados do boletim diário da DGS.

João Pedro Henriques
Enfermaria do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, dedicada ao tratamento de doentes covid-19© Gerardo Santos / Global Imagens

Foram confirmados 756 novos casos de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Morreram mais 3 pessoas devido à infeção e todas na mesma região (Lisboa e Vale do Tejo).

Há agora 443 pessoas internadas com covid-19, mais 38 do que ontem. Contudo, o número de pessoas nos cuidados intensivos é o mesmo do que indicava o boletim de domingo (87).

Os dados indicam uma progressão da pandemia visto que o número de novos infetados (756) é superior ao de recuperados nas últimas 24 horas (393).

A DGS atualizou também a "matriz de risco". O país já está na zona vermelha, tanto no continente como a nível nacional. Subiram ambas as componentes: incidência pandémica (infetados por cem mil habitantes durante 15 dias) e Rt (o Índice de Transmissibilidade, ou seja, quantas pessoas são infetadas por um contagiado).

Matriz de risco: 21 Junho

INCIDÊNCIA
Nacional: 119,3 casos de infeção por cem mil habitantes
Continente: 120,1 casos
R(t)
Nacional: 1,18
Continente: 1,19

Matriz de risco em 21 de junho de 2021© DGS

As subidas deram-se tanto a nível nacional como continental face à matriz de risco divulgada pela DGS no passado dia 17 de junho.

Matriz de risco: 17 junho

Incidência pandémica

Nacional: 100,2 casos de infeção por cem mil habitantes

Continente: 100,2 casos

R(t)

Nacional: 1,14

Continente: 1,15

Numa altura em que Lisboa e Vale do Tejo continua a suscitar preocupação ao ser a região com o maior número de novos casos de infeção, a autarquia da capital decidiu reforçar o plano municipal de testagem.

No boletim de hoje da DGS, Lisboa e Vale do Tejo, com 484 infetados, continua a representar quase dois terços (64 por cento) dos novos casos.

O Norte registou 126, o Algarve 69, a região Centro 28, o Alentejo e os Açores com 23 cada e a Madeira três.

Desde o início estão registadas 17068 mortes em Portugal com covid e 865806 infetados. Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais mortos (7241) mas foi no Norte que se registaram mais infetados (343 638).

Testagem reforçada e centros de vacinação com horário alargado em Lisboa

Desta forma, os testes gratuitos à covid-19 nas farmácias de Lisboa vão ser ilimitados e disponíveis a todos os cidadãos, inclusive não residentes na cidade, anunciou, esta segunda-feira, a Câmara Municipal.

Segundo a autarquia, o plano de testagem "deixou de estar limitado a dois testes mensais por morador na cidade de Lisboa, passando a oferecer um número de testes ilimitados, independentemente de ser ou não residente" na capital.

Também em Lisboa, a partir desta segunda-feira, os centros de vacinação passam a ter um horário alargado, com mais um hora de funcionamento "(de 9 para 10 horas diárias)". O objetivo é vacinar 65 mil pessoas todas as semanas.

Para o reforço da vacinação na capital, vai ser reaberto o "Centro Municipal de Vacinação - Pavilhão 3 do Estádio Universitário de Lisboa, que será operado pelas Forças Armadas".

Mais de 200 situações de incumprimento à proibição de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa

Perante o agravamento da situação epidemiológica em Lisboa e Vale do Tejo e devido à prevalência na região da variante Delta, associada à Índia, o Governo decretou a proibição de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML), entre as 15:00 de sexta-feira e as 06:00 desta segunda-feira.

Neste período, a GNR registou 210 situações de incumprimento sem justificação para entrar ou sair da AML.

"A população estava consciente das regras. Apesar do incumprimento, os cidadãos foram colaborantes e voltaram para trás quando pedido", disse à Lusa o capitão, João Gaspar. A operação de fiscalização decorreu de forma tranquila e com a colaboração da população, destacou.

A nível mundial, foram registadas 6567 mortes e 317 517 novos casos nas últimas 24 horas, de acordo com o balanço diário da AFP

Desde que foram detetados os primeiros casos na cidade chinesa de Wuhan, no final de 2019, morreram pelo menos 3 868 393 mortes em todo mundo, indica a agência de notícias francesa.

No total, mais de 178 401 810 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados no mundo.