Alunos dos Açores vencem concurso europeu com protótipo de micro satélite

Equipa açoriana foi considerada a melhor entre as equipas que representavam os 14 países membros da Agência Espacial Europeia, promotora do evento "CanSat"

A equipa de alunos dos Açores que venceu a final europeia do concurso "CanSat 2016", com um protótipo de micro satélite, considerou hoje ter alcançado um "grande feito", que poderá vir a ser "uma mais-valia" no futuro profissional.

"Foi um grande feito para todos nós. Teve grande importância para nós e marcou um momento da nossa vida", afirmou em declarações a agência Lusa o porta-voz da equipa da Escola de Novas Tecnologias dos Açores (ENTA), João Chrystello, acrescentando que todos os alunos estavam "altamente motivados".

A equipa açoriana, designada por "ENTA Team SAT2" participou na prova europeia em representação de Portugal e foi considerada a melhor entre as equipas que representam os 14 países membros da Agência Espacial Europeia, promotora da competição "CanSat".

Este concurso europeu, cuja final decorreu no último fim-de-semana em Torres Vedra desafia anualmente os alunos a construir um protótipo de micro satélite, integrando antenas, sensores e uma bateria numa lata de refrigerante para realizar uma missão científica, proporcionando desta forma o primeiro contacto dos alunos com uma missão espacial, desde a fase de projeto, à integração dos componentes, testes, lançamento, análise de dados e apresentação dos resultados.

João Chrystello, 19 anos e aluno do segundo ano do curso técnico de gestão e programação de sistemas de informação, adiantou que um dos membros da equipa, composta por seis alunos no total com idades entre os 17 e 20 anos, já tinha participado na edição de 2015, o que permitiu este ano ajudar os restantes membros a "ultrapassar as várias fasquias".

"O meu papel era tratar de tudo o que era apresentação, pois era o porta-voz da equipa. Toda a apresentação era em inglês. Estive a par de todo o projeto. Sabia mesmo de coisas técnicas do próprio satélite para responder às perguntas do júri", referiu o aluno, acrescentando que a escolha do projeto açoriano foi unânime.

Segundo admitiu João Chrystello este reconhecimento europeu "poderá ser uma mais-valia em termos profissionais".

Para o mentor e professor dos alunos açorianos, Duarte Cota, trata-se de um prémio "muito importante", que representa "o reconhecimento de todo o trabalho desenvolvido nos últimos seis meses" pelos seis elementos de uma "equipa multidisciplinar".

"Nós começamos em dezembro com a candidatura ao CanSat Portugal. Concorreram entre 50 a 60 equipas. Foram selecionadas 14, entre a qual a nossa. Vencemos, depois, a competição nacional e agora a europeia", referiu o docente, de 46 anos, destacando que o projeto açoriano vingou pela "solidez e consistência".

Duarte Cota explicou que os satélites são lançados a 1.200 metros de altitude, com a descida controlada através de um sistema de paraquedas, fase durante a qual é medida a temperatura do ar, pressão atmosférica e calculada a altitude do voo, dados enviados por telemetria para uma estação em terra. Os dados recolhidos são enviados por telemetria para uma estação em terra.

Os alunos da Escola de Novas Tecnologias dos Açores são a segunda equipa dos Açores a vencer este concurso europeu, já que em 2013 alunos da Escola Secundária da ilha de Santa Maria participaram e também conquistaram o primeiro lugar.

O projeto de minissatélite da "ENTA Team SAT2" envolveu o estudo da radiância solar para avaliação de condições de aproveitamento de energia fotovoltaica em missões espaciais, a garantia da sobrevivência e recuperação do minissatélite através de geolocalização por GPS e, ainda, a conceção de um sistema de cápsula protetora flexível para amortecimento do impacto na aterragem.

O "CanSat" é um projeto educativo da Agência Espacial Europeia (ESA) que pretende proporcionar aos jovens estudantes a primeira experiência na área da tecnologia aeroespacial, tendo como objetivo a construção de um modelo funcional de um microssatélite em que todos os sistemas são integrados no volume de uma lata de refrigerante.

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro já felicitou os jovens vencedores e considerou que esta conquista é "um forte motivo de inspiração para que os jovens açorianos acreditem que é sempre possível vingar nos projetos em que se envolvem".

Para além da equipa açoriana, que representou Portugal participaram neste concurso europeu equipas da Grécia, Itália, Espanha, Polónia, República Checa, Alemanha, Irlanda, Holanda, Noruega, Finlândia, Reino Unido, Roménia e Dinamarca.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG