"A falta de gelo em ambos os polos é extraordinária"

As concentrações de dióxido de carbono, por outro lado, atingiram um nível recorde

A extensão da superfície de gelos no Ártico e na Antártica em janeiro foi a mais baixa de sempre registada para aquele mês, informou esta sexta-feira o Organização Meteorológica Mundial. As concentrações de dióxido de carbono, por outro lado, atingiram um nível recorde.

"A falta de gelo em ambos os polos é extraordinária", disse David Carlson, diretor do World Climate Research Programme, num briefing das nações Unidas em Genebra, na Suíça.

Nesta altura o Polo Norte vive os dias mais frios do ano, já que é inverno, mas nos últimos meses teve temperaturas muito altas para a época, devido ao transporte de ar quente de latitudes mais baixas.

No Polo Sul, onde agora é verão, e onde a extensão do gelo varia muito mais do que a norte, o derretimento de gelo na primavera, em outubro e novembro, teve este efeito.

Exclusivos