A Barbie engordou ou ficou mais pequena? As duas coisas

A marca expandiu a linha com "três novos tipos de corpos" e sete tons de pele

Uma das bonecas mais famosas do mundo está a mudar: a Barbie anunciou hoje a expansão da sua linha com a introdução de três novos tipos de corpos - "alto, curvilíneo e pequeno" - e uma variedade de tons de pele, estilos de penteados e roupas.

A história é um exclusivo da revista "Time", que faz capa com a boneca mais famosa do mundo. "Agora podemos parar de falar do meu corpo?" é a pergunta que surge no título da publicação, que mostra uma imagem de perfil de uma Barbie com a barriga e o rabo maiores que os da boneca tradicional.

Ao todo são quatro tipos de corpos (o original e três novos), sete tons de pele, 22 cores de olhos, 24 estilos de penteados e inúmeras roupas modernas e acessórios. No total, há 33 novas bonecas, que começaram a ser pensadas há dois anos.

A marca de Mattel explica, em comunicado, que o objetivo é dar a "todas as meninas do mundo" muitas mais maneiras de "representar as suas histórias e de despertar a sua imaginação" através da Barbie.

"Acreditamos que temos uma responsabilidade para com as meninas e os pais, de refletir uma visão mais alargada da beleza," disse Evelyn Mazzocco, vice-presidente e diretora global da Barbie. "Estamos muito felizes por oferecer estas novas bonecas. A variedade de tipos de corpos, tons de pele e estilos permitirá às meninas encontrar uma boneca que fale com elas".

A verdade é que a marca tem apostado na diversificação para travar a queda de vendas (20% de 2012 opara 2014), depois de ultrapassada pela Elsa de Frozen em popularidade.

A boneca, que conta já com 56 anos, tem vindo a adaptar-se, até porque tem sido alvo de críticas pelos padrões que incute às crianças, numa época em que muitas das estrelas de quem elas são fãs são precisamente mais curvilíneas, como Beyoncé.

Já em meados do ano passado, a marca havia lançado uma flashmob com os novos modelos.

O vídeo intitulado Who Is Barbie? apresentava a boneca com pés flexíveis, sem saltos e em versões étnicas, mas também com o cabelo rapado ou colorido.

Mas esta nova inovação pode representar um enorme risco para a marca, com mil milhões de dólares de vendas anuais em 150 países. E a tradução das palavras inglesas que descrevem os novos tipos de Barbie pode ser um problema, pelo que foram precisos meses para escolher as palavras certas nas mais variadas línguas de forma a não soar a ofensa.

A coleção estará disponível em Portugal no final de março por cerca de 10 euros.