A bairmaid que vê nos insetos a próxima moda nos cocktails

O 'Lisbon Bar Show' volta a trazer à capital alguns dos bartenders de referência a nível internacional

Começou a trabalhar em bares quando estava no liceu, apenas para ganhar uns trocos para o verão. Quando o calor ficou para trás, percebeu que estava apaixonada e deixou os estudos em Economia para se dedicar aos cocktails. "Senti que ia ser uma grande mudança mas apaixonei-me pela profissão porque é supercriativa, é o mundo mais criativo que possas imaginar. Tem tudo a ver com sabores, cores, texturas, aromas. É muito complexo", diz ao DN Martina Breznanova, barmaid do Nightjar, em Londres, considerado pela revista Drinks International o terceiro melhor bar do mundo em 2013, 2014 e 2015.

A eslovaca veio a Lisboa para participar na terceira edição do Lisbon Bar Show, evento que reúne durante dois dias algumas das referências mundiais no mundo do bartending e da mixologia. Breznanova mudou-se para Londres em 2011 e hoje é uma das profissionais mais respeitadas da área. As inúmeras viagens que realiza pelo globo servem-lhe de inspiração para criar cocktails. Os tais que valem a fama do Nightjar. "Terceiro melhor bar do mundo? Respeito essas competições mas para mim não é o mais importante. Não é isso que vai fazer os teus clientes felizes. Alguns jurados vão aos bares e classificam. Mas depois tens outras 250 pessoas (os clientes) que vão avaliar-te com outros critérios, esse para mim é o público-alvo", explica.

Se olhar para a carta do bar londrino, verá muitos ingredientes exóticos e que provavelmente nunca colocaria numa bebida, como pólen de abelha, casca de árvore ou folhas de ostra. De onde surgem essas ideias? "Nos países que visitamos tentamos ir aos mercados e perceber quais os ingredientes locais que podemos usar. Por exemplo, no México usam feijão todos os dias, para eles é enfadonho. Quando vens de fora lembras-te de uma maneira diferente de o usar, que eles nunca tinham pensado. Todas as culturas nos inspiram", conta.

Tal como a gastronomia, o mundo dos cocktails tem ainda muito por evoluir. "Os insetos estão a tornar-se a próxima moda. Dizem que vai ser a comida do futuro. Estive recentemente no México, onde têm um caviar de formigas, com os ovos. Há pessoas que passam horas a segui-las até aos ninhos, fazem quilómetros só para colher os ovos. O preço é elevado, por ser um ingrediente raro. Mas também comem vermes, gafanhotos..." Há uns anos Martina seria incapaz de comer tais iguarias. Agora ganhou o gosto e talvez por isso, na mesa que trouxe para a conferência no Lisbon Bar Show, podiam ver-se caixinhas com formigas e uma panóplia de ingredientes tão estranhos quanto as suas embalagens.

Calma, não se assuste. Há cocktails bem mais simples no evento que termina hoje no Pavilhão de Exposições da Tapada da Ajuda. A tequila é o mote desta edição, onde pode assistir a conferências, demonstrações e degustar saborosas bebidas. Se optar pelos clássicos, pode sempre dar uma de entendido e imitar Bond: "Shaken, not stirred."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG