20 personalidades defendem a paz contra a criminalização do pensamento

Boaventura Sousa Santos, Viriato Soromenho-Marques, Dino Santiago, Pedro Tadeu, Francisco Baptista e Raul Cunha são algumas das personalidades que, numa carta aberta, repudiam "qualquer violação dos acordos internacionais que ameacem a integridade e a soberania dos povos" a propósito da guerra na Ucrânia.

Em carta aberta 20 personalidades portuguesas afirmam a sua posição pela paz contra a criminalização do pensamento e "reafirmam o inequívoco repúdio de qualquer violação dos acordos internacionais que ameacem a integridade e a soberania dos povos" face à atual guerra na Ucrânia.

Na documento divulgado esta segunda-feira, os 20 signatários denunciam "a criação de um ambiente tóxico, em muitos casos, vinculado e estimulado, por meios de comunicação social, e por responsáveis do poder político, de hostilização, desacreditação pessoal, e intimidação, de todos os que não sigam a cartilha de uma opinião que se arvora ao estatuto de pensamento único".

Lembram também que se assiste na Europa a uma "censura necessária" onde "à revelia de todos os proclamados valores ocidentais, se afastam desportistas, fecham exposições, retiram temporadas teatrais, despedem-se encenadores, professores e maestros, suspendem concertos e ballets, cursos universitários de literatura e ciclos de cinema".

Perante a situação, os subscritores ​​​​​​​fazem um retrato das consequências do pensamento, recusando "alinhar com os que colocaram de quarentena a faculdade de pensar, e perseguem todos os que recusam a lógica da confrontação, o elevar das tensões, e o desejo patológica de que a guerra se alastre à escala global".

"Repudiamos que se tenha aceitado, sem qualquer espírito critico, nem sentido de soberania, uma diretiva da União Europeia que é contrária à Constituição Portuguesa, promovendo a flagrante e grosseira violação dos direitos de liberdade de expressão e informação expresso no artigo 37, e o de liberdade de imprensa referido no artigo 38", sublinham os signatários, entre os quais estão o músico Dino Santiago, o jornalista Pedro Tadeu, o capitão de mar e guerra Francisco Baptista e o major-general Raul Cunha.

Assim, defendem que "a solução não é o aumento da escalada armamentista, nem os apelos à globalização da guerra. A solução está na coragem de avançar para a paz e a obrigatória cooperação entre todos os povos, no enfrentar de tantas ameaças que a todos afetam".

Eis todos os subscritores: Ana Margarida Carvalho (escritora), Artur Pereira (consultor de comunicação), Boaventura Sousa Santos (sociólogo e professor catedrático jubilado), Carmo Afonso (advogada), César Viana (compositor e maestro), Cíntia Gil (programadora de cinema), Constança Cunha e Sá (jornalista), Dino Santiago (músico), Francisco Baptista (capitão de mar e guerra), Francisco Mangas (escritor), Gustavo Namorado (advogado), Isabel do Carmo (médica), João Rodrigues (economista e professor universitário), Júlio Cardoso (ator e encenador), Miguel Januário (artista), Nuno Ramos de Almeida (jornalista), Paula Godinho (antropóloga e professora universitária), Pedro Tadeu (jornalista), Raul Cunha (major-general), Viriato Soromenho-Marques (filósofo e professor universitário).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG