"Vencer as eleições para mudar a forma de governar"

Duarte Freitas, candidato PSD-Açores, em entrevista ao DN, no primeiro dia de campanha para as regionais, diz acreditar que os problemas sociais e económicos dos Açores irão ditar a mudança

Quais as expectativas para estas eleições? O que é um bom resultado para o PSD?

O PSD-Açores é hoje um partido renovado e com soluções para os problemas que a governação socialista de 20 anos não resolveu. Queremos ganhar as eleições para mudar a forma de governar. A nossa expectativa é vencer as eleições para servir os açorianos e iniciar um novo ciclo na história da autonomia.

Considera que a renovação que fez no partido é suficiente para conquistar eleitorado e se aproximar da votação do PS?

Tivemos a preocupação de atrair novos valores. Mais de 80% das listas foram renovadas. Nenhum outro partido mostrou esta capacidade de renovação. O PSD-Açores apresenta candidatos competentes e conhecedores da realidade.

Se perder as eleições mantém a intenção de recandidatar-se à liderança do PSD-Açores?

Estou convicto de que vamos ganhar. Cada vez mais os açorianos acreditam que chegou a hora de mudar. Quando assumi funções de presidente do PSD-Açores disse que, quer ganhasse quer não, me candidataria a líder do partido. Aliás, Carlos César perdeu 13 eleições antes de ser presidente do governo.

Como pretende convencer os açorianos a votar em si?

Infelizmente, a realidade social e económica é o melhor argumento para defender a mudança. Há 50 mil açorianos sem médico de família e 10 mil esperam por uma cirurgia. Temos os maiores índices de abandono escolar do país. A agricultura vive a maior crise dos últimos 40 anos. Há pescadores com rendimentos de 100 euros por mês. Quase 20 mil açorianos não têm emprego. Estes são problemas que o PS não resolveu.

Se vencer, quais as principais prioridades?

Criar emprego nos setores privado e público. Apostar na educação, tornando a escola mais atrativa para os alunos e valorizando os professores. E garantir a todos os açorianos melhores cuidados de saúde.

O desemprego continua a ser um dos grandes problemas dos Açores. O que se propõe fazer para combater esta situação?

Promoveremos o investimento privado com mais fundos europeus para as pequenas e médias empresas, que criam 70% do emprego e a às quais foram destinados apenas 20% dos fundos do anterior quadro comunitário. Captaremos investimento externo junto das comunidades açorianas na diáspora. Vamos criar um programa de rejuvenescimento da administração pública, intitulado Programa Gerações, contratando até 1200 jovens.

O crescimento que se tem verificado no setor do turismo pode ser encarado como um dos principais trunfos de Vasco Cordeiro? O que se propõe fazer nesta área?

Assisto com muita satisfação ao crescimento deste setor. Com a abertura do espaço aéreo, pela qual o PSD-Açores tanto lutou, o turismo bate recordes e até os adversários da liberalização, como o governo do PS, tentam agora colar-se a este sucesso. Mas o que importa é o turismo crescer. Temos de aproveitar este boom para qualificar a oferta turística e formar os jovens. A animação turística deve ser cada vez mais qualificada. Assim podemos fidelizar os turistas e garantir que, ano após ano, continuem a visitar-nos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG