Vasco Lourenço apela a "revolta" contra ministro da Defesa

Militar de Abril junta a sua voz ao coro de protestos contra Azeredo Lopes, a propósito da demissão do chefe do Estado-Maior do Exército

Vasco Lourenço defendeu, esta quarta-feira, que seja bloqueado o processo de substituição de Carlos Jerónimo, ex-chefe do Estado-Maior do Exército, que se demitiu do cargo na semana passada, na sequência de uma reportagem que abordou o tabu da homossexualidade dentro do Colégio Militar. "O desejável é que os generais que venham a ser convidados a seguir digam que não", afirmou o militar de Abril ao jornal i.

O apelo de Vasco Lourenço para que nenhum oficial aceite tomar o lugar de Carlos Jerónimo é partilhado por mais altas patentes da instituição militar, nomeadamente pelo general do Exército Ricardo Durão. "Felicito a decisão tomada pelo Chefe do Estado-Maior, como felicitarei os generais que recusem a nomeação para o substituir, enquanto for mantido em funções o atual ministro", escreveu o general.

Segundo Vasco Lourenço adiantou ao i, a Associação 25 de abril vai tomar posição pública esta quarta-feira, criticando Azeredo Lopes e louvando a atitude do general Carlos Jerónimo.

Entretanto, o DN adiantou hoje o motivo da demissão do general Carlos Jerónimo: aparentemente, o ex-CEME não terá "desencadeado algum processo de averiguações ou inspeção sobre a situação em causa", isto é, sobre eventuais práticas de discriminação aos homossexuais no Colégio Militar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG