Vai ser possível fazer o teste ao VIH em casa

Entre abril e maio, a Associação Abraço vai lançar um teste de rastreio ao vírus da sida, que pode ser em casa. É anónimo, gratuito, confidencial e está disponível para maiores de 18 anos residentes em Portugal continental e ilhas

A Associação Abraço vai lançar entre este mês e maio um kit com o teste de rastreio ao Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH), que pode ser encomendado online e ser feito em casa. "O Teste em Casa" permite diagnosticar a hepatite C. A notícia é avançada hoje pelo Jornal de Notícias .

É anónimo, gratuito, confidencial e está disponível para maiores de 18 anos residentes em Portugal continental e ilhas. Um teste que tem o apoio informal da Direção Geral de Saúde (DGS), mas o Infarmed esclarece que se trata de uma utilização "off label", porque o dispositivo escolhido "não foi estudado nem avaliado de acordo com os requisitos europeus".

A Abraço "quer chegar a pessoas que não vivem nos grandes centros urbanos e têm mais dificuldades de acesso"

De acordo com o jornal, ideia passa por encomendar online o teste, fazer a colheita de sangue em casa e enviar a amostra para laboratório. "Em caso de resultado positivo, a Abraço quebra o anonimato e entra em contacto com a pessoa para a encaminhar para os serviços de saúde que aderiram ao projeto".

Com esta iniciativa, a Abraço "quer chegar a pessoas que não vivem nos grandes centros urbanos e têm mais dificuldades de acesso", disse ao JN Gonçalo Lobo, presidente da associação.

"O Teste em Casa" implica apenas uma picada no dedo para recolher uma amostra de sangue para um filtro

Segundo o Jornal de Notícias, "55% dos diagnósticos em Portugal chegaram em fase avançada da doença". A presidente do Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA, da DGS refere ao jornal que "o diagnóstico precoce é fundamental, porque com tratamento a pessoa consegue vir a ter uma esperança de vida idêntica à da população em geral", explica Isabel Aldir. Outra vantagem é a possibilidade de controlar melhor a doença.

"O Teste em Casa" implica apenas uma picada no dedo para recolher uma amostra de sangue para um filtro.

A DGS aplaude a iniciativa da Abraço. "É um projeto de louvar", diz Isabel Aldir. "Se for desta forma que vamos conseguir diagnosticar mais, tanto melhor".

O JN avança ainda que para "contornar o facto de o teste não estar validado", a Abraço vai avançar com o projeto "no âmbito de um estudo, no qual deverá participar o Instituto Ricardo Jorge, para fazer a análise em laboratório". O jornal refere ainda que a associação já gastou 65 mil euros a encomendar 500 kits e na criação da plataforma online.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG