"Uma exposição que renovava a curiosidade"

Silvana Alexandre, governanta geral num hotel de cinco estrelas, Carcavelos

Verão de 1998. Como seria de esperar toda a gente tinha uma enorme expectativa para aquela que seria a maior exposição realizada em Portugal.

Foram construídos vários pavilhões dos quais muitos fazem parte dos eventos da actualidade, integrados no espaço que hoje é o Parque das Nações. Destaque para o Oceanário que era considerado o maior aquário da Europa. O Pavilhão Atlântico, que hoje se chama Altice Arena são obras que devemos a essa exposição. A par da requalificação do espaço crescia a ponte Vasco da Gama mesmo ali ao lado, outra obra que na data era considerada a maior ponte da Europa.

Este encontro maravilhoso de culturas num espaço outrora degradado que foi requalificado para o evento e que transformou o que é hoje uma das zonas privilegiadas e nobres de Lisboa. Foi um encontro de famílias, de culturas que durante o tempo da exposição se juntavam para fazer a visita aproveitando o convívio. Parecia que estávamos fora de Portugal. Comigo também não foi diferente.

Guardo muito boas recordações da exposição, visitei o espaço três vezes, sempre com a mesma curiosidade como se fosse o primeiro dia. Nem o calor sentido em certos dias em horas de espera na fila e grávida de alguns meses me decepcionaram para entrar por exemplo no Pavilhão do Futuro, no Oceanário, no Aqua Matrix, no Pavilhão de Portugal entre outros representados por outros países que também honraram o seu nome para estarem representados naquela que seria a maior exposição em Portugal até à data. Sem dúvida e com orgulho Portugal mostrou ao mundo mais uma vez os feitos dos portugueses que pareciam esquecidos desde o tempo dos Descobrimentos.

Exclusivos