"Um momento único que tive a sorte de vivenciar"

Susana Campos, Diretora de vendas, Lisboa

Ditou a sorte que com 24 anos fosse trabalhar para o pavilhão do Japão! Excitação total! Dois meses antes da abertura começou a formação . Tivemos de saber tudo sobre o espaço total da Expo 98. Casas de banho , telefones ... tudo ... os japoneses são super rigorosos e exigentes. Já durante o evento, a exigência continuou: a nossa chefe escondia-se para nos espiar e verificar se estávamos com o pé mais para a direita ou mais para a esquerda . Só que nos também a víamos .... era muito divertido. Todos os dias quando a expo encerrava ao público, mesmo estoirados por termos estado todo o dia de pé com um sorriso nos lábios , começava para nos a verdadeira expo 98. Todas as noites existiam festas entre pavilhões .... tive oportunidade de conhecer quase todos os pavilhões sob esta forma descontraída. Conheci pessoas das mais diversas partes do mundo. É uma experiência que nunca esquecerei .

Para o país, foi extraordinário pois a população teve oportunidade de ter um "cheirinho" da realidade de outros países , que provavelmente não teria possibilidades. O facto de, após a Expo, a zona ter sido aproveitada, foi uma mais valia pois quando estive na expo 92 em Sevilha, verifiquei que a zona boa não desenvolvida e está um pobre e abandonado descampado. Foi de facto algo único para Portugal.

Exclusivos