Teste para a linguagem das crianças até 6 anos

Marisa Lousada e duas colegas investigadoras criaram teste de linguagem que centros de saúde vão aplicar em projeto-piloto

Foi uma necessidade encontrada no dia-a-dia de quem trabalha com crianças que levou três investigadoras a criar o Ralf (Rastreio de Linguagem e Fala). "No contexto internacional, existem diferentes instrumentos de rastreio na área da linguagem e da fala, no entanto, para o português europeu não existe um instrumento de rastreio específico", aponta a investigadora Marisa Lousada. Perdão, não existia porque agora "em aproximadamente cinco minutos" os profissionais que trabalham com crianças (pediatras, terapeutas da fala, educadores de infância) vão poder saber se estas adquiriram ou não as competências de fala e linguagem de acordo com a sua idade.

Depois de identificada esta lacuna, o objetivo das três investigadoras - Marisa Lousada [do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde da Universidade de Aveiro (UA)], Ana Mendes [do Instituto de Engenharia Eletrónica e Informática da UA] e Ana Rita Valente [do Instituto de Engenharia Eletrónica e Informática da UA] - sempre foi que "a aplicação deste rastreio pudesse fazer parte da consulta de vigilância de saúde infantil no contexto de cuidados de saúde primários, realizada por volta dos 5 anos". O programa está a ser comercializado através da empresa Edubox (uma spin-off da UA) e as suas autoras recebem royalties, não sendo fácil determinar quanto a empresa gera, uma vez que são várias as entidades que repartem os lucros, aponta Marisa Lousada. O Ralf vai ser, também, testado num projeto-piloto "em contexto de cuidados de saúde primários na ARS Centro", pelo que "brevemente vamos conhecer as possíveis mais-valias no encaminhamento precoce de crianças com perturbações".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG