Pacheco Pereira."Só aceitei por ser um lugar não remunerado"

Pacheco Pereira explica porque aceita ser administrador da Fundação de Serralves

O historiador José Pacheco Pereira, militante do PSD e comentador, esclarece no seu blogue, o "Abrupto", porque razão aceitou o convite do governo.

"Face ao convite que me foi feito para a Administração de Serralves, devo dizer que só aceitei por ser um lugar não remunerado e sem qualquer prebenda, condição que coloquei ao convidante", escreve Pacheco Pereira argumentando que este é um "aviso por causa do tempo (mais um, mas os tempos são o que são...)".

Espero que quando se der a notícia não se ignore este "aviso"

Pacheco Pereira diz ainda que faz "parte igualmente de um Conselho de Patronos do Museu Vieira da Silva / Arpad Szenes, do Conselho Consultivo do Museu do Aljube, e do Conselho-Geral da Universidade do Porto". E tudo, sublinha, "sem qualquer remuneração".

O Ministério da Cultura anunciou hoje que designou para a administração da Fundação de Serralves o historiador José Pacheco Pereira e a antiga ministra da Cultura Isabel Pires de Lima.

Numa nota à imprensa um dia depois da reunião do responsável da Cultura, João Soares, com o presidente do Conselho de Administração da fundação, Luís Braga da Cruz, o ministério recordou que "cabe ao ministro da Cultura a competência própria para escolher e nomear dois membros do Conselho de Administração da Fundação de Serralves".

"Os dois nomeados são intelectuais portuenses de reconhecido mérito", sublinhou o comunicado do Governo, que salientou que João Soares informou Braga da Cruz, a terminar funções na presidência da Fundação de Serralves este mês, de tal decisão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG