Serviço de Oncologia do Hospital de Évora estará normalizado em julho

Hospital de Évora reveza-se da falta de profissionais, no serviço de Oncologia, com a "articulação com os demais hospitais de Beja, Portalegre, Elvas e Santiago do Cacém"

O Hospital de Évora (HESE) está a proceder à contratação de oncologistas para compensar a saída de dois especialistas. Para já, e para suprir eventuais dificuldades no atendimento aos doentes, está a proceder-se "à manutenção da articulação com os demais hospitais de Beja, Portalegre, Elvas e Santiago do Cacém, com a celebração de protocolos, por forma a garantir a continuidade das consultas da especialidade e/ou tratamentos dos doentes da região", segundo explicou ao DN fonte hospitalar.

"Em virtude da saída de dois dos cinco especialistas da equipa do Serviço de Oncologia, no passado mês de maio, o Conselho de Administração está a proceder à contratação de oncologistas para manter, com a qualidade que sempre prestigiou o HESE, a prestação dos cuidados de saúde dos doentes oncológicos", salientou.

A questão foi ontem levantada pela bancada socialista, com o deputado do PS, Bravo Nico, a considerar que a saída de oncologistas do hospital de Évora poderia colocar em causa a manutenção e qualidade do serviço e a formação de médicos.

É após serem demonstradas as consternações da bancada socialista, acerca do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), mais especificamente acerca do serviço de Oncologia, que o DN contacta o Gabinete de Comunicação do Hospital, a propósito da rescisão contratual de alguns médicos do serviço e pergunta ainda pelo que está a ser feito para remediar a situação.

Sabendo já à partida da rescisão contratual do diretor do serviço, Sérgio Barroso, que justificou a sua saída com motivos pessoais, a reposição deste cargo não foi nomeada nos esclarecimentos prestados, ainda que, "a equipa de Oncologia do HESE passará a contar com mais especialistas a partir de julho.", referiu pela mesma instituição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG